• Funvic Taubaté fecha a série e vai disputar a final da Superliga masculina

    Semifinais da Superliga Masculina de Vôlei 2016/2017 – SESI-SP x Funvic Taubaté
    Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV

    Redação

    O Funvic Taubaté venceu o Sesi-SP por 3 sets a 1 (25/17, 25/19, 22/25 e 25/22), na noite desta quinta-feira (27.04), no ginásio Lauro Gomes, em São Caetano do Sul. Com este resultado, o time dirigido pelo técnico Cezar Douglas garantiu a classificação para a final do campeonato, fechando a série melhor de cinco jogos em 3 a 1. Pela primeira vez, o Taubaté disputará uma final da Superliga.

    O Funvic Taubaté será o adversário do Sada Cruzeiro na grande decisão do dia 7 de maio, no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte. A equipe cruzeirense já havia conseguido a classificação depois de passar pelo Vôlei Brasil Kirin por 3 jogos a 0.

    O ponteiro Lucarelli, do Taubaté, foi o mais votado no site do Vôlei Brasil (Confederação Brasileira de Voleibol) e eleito o melhor jogador da partida. Com o destaque na noite, o atacante premiado com o Troféu VivaVôlei e comemorou o resultado.

    “A atitude da equipe foi muito boa hoje. Falei no terceiro jogo e a nossa recepção e o nosso saque melhoraram muito, hoje sofremos muito menos na recepção. Tivemos consciência em relação a este ponto e isso ajudou muito. Estou muito feliz, a torcida toda veio de Taubaté e agora espero que possamos apresentar um bom trabalho contra o Sada Cruzeiro”, disse Lucarelli.

    O oposto Wallace, maior pontuador da partida, com 17 acertos, já comentou sobre a final. “Ter feito jogos fortes nessa semifinal, e ter tido esse quarto jogo, talvez faça com que o nosso time chegue com um pouco mais de ritmo, mas final é final. A pressão maior é deles, por serem os atuais campeões, mas vamos fazer de tudo para buscar esse título inédito para a cidade”, afirmou Wallace.

    Pelo Sesi-SP, o central Riad fez questão de elogiar as duas equipes pelos belos duelos nesta semifinal. “Caímos hoje com gostinho de que poderíamos ter feito mais, principalmente no primeiro jogo, quando fomos muito abaixo do que vínhamos treinando e jogando. Os outros jogos foram equilibrados, o que resume essas duas equipes. Nosso time está de parabéns e o deles também”, concluiu Riad.

    O JOGO

    Necessitando da vitória, o Sesi começou muito nervoso, errando principalmente no saque e se complicava na recepção. O Funvic Taubaté, por outro lado, forçava o saque com eficiência, quebrando o passe do time da capital e montava um bloqueio forte. Os erros do Sesi desde o início da partida seguiram ao longo do set e fizeram a diferença para o Taubaté que fechou em 25/17.

    O segundo set começou mais equilibrado, mas o forte saque do Funvic Taubaté ainda era o grande vilão do Sesi-SP. Com a entrada de Douglas Souza, o Sesi chegou a empatar a parcial em 14 /14. Mas, a equipe do interior seguia equilibrada no set ao ponto de Riad, do Sesi, rasgar a rede em um momento de raiva – o central tomou cartão amarelo. O jogo foi interrompido para que um nó fosse improvisado para tapar o buraco na rede. Quando a bola voltou a subir, só deu Taubaté, que fechou em 25/19.

    Precisando a qualquer custo reverter a situação, o técnico Marcos Pacheco mexeu novamente no Sesi e colocou Murilo no lugar de Fábio para reforçar o passe no terceiro set. Deu certo. Douglas Souza cresceu no ataque e equilibrou o set. Com isso a equipe da capital cresceu e com o passe na mão, Bruninho levou sua equipe a vitória, o Sesi fechou em 25/22.

    O Sesi voltou empolgado para o quarto set. Empurrado pela torcida, a equipe da capital construiu um paredão e parou com bloqueio três ataques do Taubaté logo no início da parcial. Já com ritmo de jogo, Douglas Souza virava seguidas bolas, e Théo explorava bem o bloqueio do Taubaté. Só que aos poucos os visitantes voltaram ao jogo. O Funvic Taubaté cresceu na reta final e venceu por 25/22. Com isso garantia de vez a vaga inédita na final da Superliga.

    EQUIPES

    SESI-SP – Bruninho, Théo, Riad, Lucão, Fábio e Murilo. Líbero – Segrinho
    Entraram – Rafa, Alan, Leitzke, Douglas, Johan
    Técnico: Marcos Pacheco

    FUNVIC TAUBATÉ – Raphael, Wallace, Otávio, Éder, Lucarelli e Lucas Lóh. Líbero – Mário Jr
    Entraram – Gelinski, Renan, Japa, Matheus
    Técnico: Cezar Douglas

  • Vôlei de Praia: Duplas mais bem ranqueadas confirmam favoritismo na estreia em Niterói

    Taiana foi campeã na primeira edição do Superpraia, em 2014
    Créditos: Daniel Zappe/MPIX/CBV

    Redação

    A praia de Icaraí, em Niterói, no Rio de Janeiro, foi o palco em que as principais estrelas femininas do vôlei de praia brasileiro entrarão em ação. Nesta quinta-feira (27.04) teve início o Superpraia 2017, evento que encerra a temporada nacional 2016/2017 da modalidade. E, neste primeiro dia de ação, apenas as mulheres entraram em quadra.

    As quatro duplas que lideram o ranking do país confirmaram o favoritismo. Larissa/Talita (PA/AL), Ágatha/Duda (PR/SE), Taiana/Elize Maia (CE/ES) e Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) garantiram classificação direta às quartas de final do torneio, com duas vitórias cada.

     

    A repescagem, que acontece no final da manhã desta sexta-feira (28.04), terá os seguintes jogos: Rachel/Izabel (RJ/PA) x Lili/Josi (ES/SC); Juliana/Carol (CE/RJ) x Érica Freitas/Neide (MG/AL); Val/Ângela (RJ/DF) x Maria Elisa/Carol Horta (PE/CE); e Renata/Thati (RJ/PB) x   Tainá/Victória (SE/MS). Antes, às 8h, terá início a disputa do torneio masculino do Superpraia.

    Quatro duplas deram adeus ao torneio já na fase de grupos, por terem perdido dois jogos seguidos. São elas Andrezza/Vivian (AM/PA), Semírames/Luiza Amélia (SP/CE), Rafaela/Flávia Moura (PA/RJ) e Fabrine/Carol Won-Held (BA/RJ).

    Criado na temporada 2013/2014, o Superpraia possui premiação dobrada em relação às demais etapas do Circuito Brasileiro. Os campeões nos dois naipes recebem R$ 79,9 mil e a competição conta com uma festa para eleger os destaques da temporada. Serão oito categorias técnicas, decididas pelos atletas e treinadores (levantamento, recepção, bloqueio, saque, defesa, ataque, atleta que mais evoluiu e melhor jogador) e uma votação popular, que elegerá o ‘craque da galera’.

    A temporada do Circuito Brasileiro Open 2016/2017 começou em setembro do ano passado e terminou em Vitória (ES), no início de abril. O tour também passou por Campo Grande (MS), Brasília (DF), Uberlândia (MG), Curitiba (PR), São José (SC), João Pessoa (PB), Maceió (AL) e Aracaju (SE).

  • Vôlei de Praia: Venezuela recebe quarta etapa a partir desta sexta-feira

    Bernat e Vinícius formam uma das duplas brasileiras no torneio
    Créditos: Guilherme Ferrari/MPIX/CBV

    Redação

    A Venezuela é a próxima parada do Circuito Sul-Americano de Vôlei de Praia 2017.  A partir desta sexta-feira (28.04) duplas de nove países se enfrentam em San Fernando de Apure em busca de medalhas. O Brasil será representado por quatro duplas, duas no torneio masculino e duas no feminino.

    Entre os homens Marcus/Allison Francioni (RJ/SC) e Bernat/Vinícius (RJ) estão na mesma chave e estreiam jogando entre si. No feminino as representantes brasileiras serão Amanda Maltez/Fernanda Nunes (RJ) e Hegê/Verena (CE) que também se enfrentam na primeira partida.

    O sistema de disputas divide as 16 duplas de cada gênero em quatro grupos de quatro times cada que jogam todos contra todos. Os dois melhores de cada grupo avançam para as quartas de final, que será disputada no sábado (29.04). Domingo (30.04) é a vez das semifinais e finais. Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Peru, Paraguai, Uruguai e Venezuela terão representantes no torneio.

    O Brasil está na liderança do ranking geral em ambos os naipes. No masculino, com 560 pontos, tem 20 a mais que o Chile, segundo colocado. A Argentina está na terceira posição com 480. Entre as mulheres, o primeiro lugar está assegurado também com 560 pontos, com o Paraguai em segundo lugar somando 480 pontos, e o Chile vem em terceiro com 420.

    O ranking do Circuito Sul-Americano é feito apenas para os países, contando a pontuação da dupla mais bem colocada das nações em cada uma das paradas. Os campeões de cada torneio somam 200 pontos, o vice, 180, o terceiro colocado, 160, reduzindo 20 pontos em cada posição subsequente.

  • Sada Cruzeiro se prepara para a grande final no Mineirinho

    Sada Cruzeiro treina no Mineirinho durante toda a semana    Foto: Renato Araújo/Divulgação Sada Cruzeiro

    Redação

    O elenco do Sada Cruzeiro se reapresentou nesta terça-feira, 25/04, depois de conquistar a vaga para a sua sétima final consecutiva de Superliga. E a primeira atividade da equipe, que está focada na briga pelo título, já foi realizada no palco do grande jogo, o Mineirinho. A 12 dias da decisão, marcada para às 10h do dia 7 de maio, domingo, a Raposa já começa a se ambientar ao local.

    O adversário na luta pelo pentacampeonato ainda está indefinido e sairá da disputa entre Funvic Taubaté e Sesi-SP, que se enfrentam na série semifinal.

    Ingressos

    O mando de quadra da final da Superliga, assim como todas as definições da partida, incluindo a venda de ingressos, é da Confederação Brasileira de Voleibol. A CBV disponibiliza uma carga de ingressos para comercialização pela internet, no site tudus.com.br e, de acordo com a instituição, na próxima sexta-feira, 28, começa a venda física nas bilheterias do Mineirinho. Outros pontos de venda devem ser confirmados futuramente pela CBV.

  • Vôlei de Praia: Torneio feminino estreia na quinta-feira em Niterói

    Ágatha tentará o terceiro título do Superpraia
    Créditos: Paulo Frank/CBV

    Redação

    A praia de Icaraí recebe, já nesta quinta-feira (27.04), as principais duplas do vôlei de praia brasileiro para a disputa do Superpraia 2017. A quarta edição do torneio vai até o domingo (30.04) em Niterói aberto ao público com entrada franca. As primeiras a entrar em ação serão as 16 duplas femininas que têm as campeãs do Circuito Brasileiro 16/17, Larissa e Talita (PA/AL), como cabeça de chave número um.

    Mas não é só a dupla líder do ranking nacional que chega com destaque ao torneio. Das três edições já realizadas do Superpraia a paranaense Ágatha chegou ao lugar mais alto por duas vezes. Ela, que venceu a competição em 2015 e 2016 ao lado de Bárbara Seixas, tentará a partir desta quinta-feira conquistar mais uma vez o torneio, mas com a nova parceira, a jovem Duda.

    A decisão feminina está programada para a noite do sábado (29.04). Já a competição masculina terá início nesta sexta-feira (28.04) e a final acontece na manhã do domingo (30.04).

    No histórico da competição, que é realizada desde 2014, os campeões olímpicos Alison e Bruno Schmidt (ES/DF) dominam entre os homens e ficaram no topo do pódio em todas as edições. No feminino, a primeira edição, em Salvador (BA), em 2014, Taiana e Talita venceram, enquanto nos dois anos seguintes, em Maceió (AL) e João Pessoa (PB), Ágatha e Bárbara foram bicampeãs.

    O Superpraia possui premiação dobrada em relação às demais etapas do Circuito Brasileiro. Os campeões nos dois naipes recebem R$ 79,9 mil e a competição conta com uma festa para eleger os destaques da temporada. Serão oito categorias técnicas, decididas pelos atletas e treinadores (levantamento, recepção, bloqueio, saque, defesa, ataque, atleta que mais evoluiu e melhor jogador) e uma votação popular, que elegerá o ‘craque da galera’, com votação no site: http://voleidepraia.cbv.com.br/craque-da-galera

    SISTEMA DE DISPUTA

    O Superpraia será realizado em quatro dias, com apenas disputas femininas no primeiro dia (27.04), com a fase de grupos. Na sexta-feira (28.04), é a vez da estreia masculina e repescagem (Round 1) e quartas de final femininas. No sábado (29.04) serão disputadas a repescagem (Round 1), quartas de final e semifinais masculinas, enquanto entre as mulheres é o dia de semifinais e a decisão por medalhas. O domingo (30.04) sedia as disputas de bronze e a final masculina. As decisões terão transmissão ao vivo do SporTV.

    Os primeiros colocados de cada grupo – nos dois naipes – avançam direto às quartas de final, enquanto segundos e terceiros de cada chave disputam o Round 1 (repescagem). Os vencedores das quartas avançam às semifinais.

  • Seleção Feminina: José Roberto Guimarães faz primeira convocação da temporada

    Divulgação FIVB

    Redação

    O técnico da seleção brasileira feminina de vôlei, José Roberto Guimarães anunciou nesta quarta-feira (26.04) os nomes das seis primeiras convocadas para a temporada 2017. A líbero Léia, a levantadora Naiane, a ponteira Rosamaria e a central Mara, ambas do Camponesa/Minas, a central Adenízia, do Savino Del Bene Volley Scandicci (Itália), e a líbero Suelen, do Foppapedretti Bergamo (Itália), foram chamadas pelo técnico tricampeão olímpico para treinamentos que visam Montreux Volley Masters, Grand Prix, Campeonato Sul-Americano e Copa dos Campeões – quatro compromissos da equipe brasileira neste ano. 

    O treinador José Roberto Guimarães também convidou três jogadoras para um período de treinamentos, as ponteiras Edinara e Fernanda Tomé, do São Cristóvão Saúde/São Caetano, e a também ponteira Amanda, do Terracap/BRB/Brasília Vôlei. As nove jogadoras se apresentarão na próxima segunda-feira (01.05), no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema. 

    O primeiro desafio da seleção brasileira feminina de vôlei nessa temporada será o Montreux Volley Masters, na Suíça, entre os dias seis e 11 de junho. 

  • Sesi-SP recebe o Funvic/Taubaté de olho no empate na série melhor de cinco da semifinal

    Foto: Divulgação

    Fonte:  Amanda Demétrio – Assessoria de Imprensa SESI-SP / FIESP

    Após uma virada no placar na última semana, resultando na permanência da equipe da capital paulista na briga por uma vaga na grande final da Superliga masculina 2016/17, Sesi-SP e Funvic/Taubaté voltam a se enfrentar no quarto jogo da série melhor de cinco da semifinal. A partida entre as equipes acontece nesta quinta-feira (27/4), às 19h30, no Complexo Poliesportivo Lauro Gomes, em São Caetano.

    Um dos destaques da vitória do time da Vila Leopoldina por 3 sets a 2, na última sexta-feira (21), no Vale do Paraíba, o levantador Rafa, jogador experiente, reconhece que a dificuldade permanece, mas ressalta o trabalho do grupo para manter o bom momento e seguir na disputa

    “A gente sabe da dificuldade do próximo jogo, temos essa consciência e sabemos que não será fácil. Demos um passo importante e agora precisamos dar mais dois. Cada jogo é uma nova história, voltamos para nossa casa e vamos lutar. Sabemos das qualidades deles e estamos trabalhando isso a cada treino. Acredito que o grupo está no caminho certo. Alcançamos um bom padrão de jogo, e agora é manter”, comentou.

    Por conta da capacidade mínima de 2.000 lugares, exigida pela CBV (Confederação Brasileira de Voleibol) nesta fase da competição, mais uma vez a partida será disputada em São Caetano, na Avenida Walter Thomé, 64, no bairro Olímpico.

    Assim como acontece na Vila Leopoldina, a entrada permanece gratuita e por ordem de chegada. Os portões do ginásio Lauro Gomes abrem 1h30 antes do início da partida, que contará com transmissão ao vivo pelo SporTV.

  • Genter Vôlei Bauru contrata oposta Ariane

    Crédito: William Lucas/Inovafoto/CBV

    Fonte:  Marcelo Ferrazoli – Assessoria de Imprensa Vôlei Bauru

    O Genter Vôlei Bauru já tem seu primeiro reforço para a temporada 2017-2018. Trata-se da oposta Ariane, um dos destaques da equipe do BRH-Sulflex/Curitibano, vice-campeã da última edição da Superliga B.

    Canhota de 1,90m e 88 kg, Ariane Helena Pinto tem 21 anos e, antes do clube paranaense, já teve passagens pelo Pinheiros, ADC Bradesco e Araraquara. Ela também já defendeu seleções brasileiras de base, tendo conquistado um Sul-Americano e um vice-campeonato mundial.

    Sua trajetória no voleibol começou cedo, logo aos 9 anos de idade, integrando parte de um time escolar por insistência de um professor de Educação Física. Mas, o que era uma simples atividade física começou a ganhar ares mais sérios a partir do final de 2010, quando Ariane recebeu propostas de São Caetano e do Pinheiros.

    Ela optou pelo último, onde permaneceu por quatro anos (2011 a 2014). De lá, transferiu-se para o ADC Bradesco, onde atuou em 2015 e 2016. Na sequência, defendeu e foi campeã com o Araraquara na Superliga B em 2016 e, em 2017, foi vice-campeã da Superliga B, já pelo Curitibano.

    A versatilidade é uma de suas principais características. Apesar de atuar como oposta atualmente, Ariane destaca ser capaz de jogar em qualquer posição. “Sempre joguei em todas  as posições. Durante meu período no Pinheiros, atuei como ponteira, central e me firmei como oposta. Durante um campeonato pela seleção fui utilizada como central, mas desde então sempre joguei como oposta. No entanto, se precisar, jogo em qualquer  posição”, enfatiza o novo reforço do Genter Vôlei Bauru.

    Ariane também exalta a chance de defender o time bauruense. “É uma grande oportunidade e estou pronta para aceitar sem medo de ser feliz. Espero fazer uma ótima temporada e tenho certeza que tenho muito a aprender com todos da equipe, principalmente com as atletas. Que eu possa dar o meu melhor a cada dia e que possamos ir em busca de conquistas na próxima temporada”, conclui a atleta.

  • Dentil/Praia Clube anuncia o novo treinador para a próxima temporada

    Foto: Divulgação Praia Clube

    Redação

    Após oficialização de saída de Picinin, Paulo Coco, ex-Camponesa/Minas, é confirmado o novo comandante do Dentil/Praia Clube de Uberlândia.

    Paulo do Rego Barros Júnior (Paulo Coco), 50 anos. Natural de Olinda, Pernambuco, Paulo tem uma vasta experiência no voleibol e comandará o time praiano na temporada 2017/2018. Ele é o braço-direito do treinador José Roberto Guimarães desde 1996, quando parou de atuar profissionalmente e foi ser auxiliar. Coco, aliás, segue na Seleção Brasileira como Assistente Técnico visando o ciclo olímpico Japão 2020.

    Paulo Coco falou sobre sua chegada ao Praia: “Estou com uma expectativa muito grande de ser o técnico do Dentil/Praia Clube em um ano tão especial; afinal, será a décima temporada consecutiva da equipe na Superliga Feminina de Vôlei, que é um grandíssimo feito. Tenho acompanhado a trajetória do Clube nas edições anteriores e cada ano o projeto fica mais consistente e ascende para um patamar cada vez mais elevado. Tudo construído sob alicerces de suma importância: estrutura, organização, investimento e, claro, a paixão e o amor da torcida praiana pelo voleibol”, destacou.

    Como jogador, ele defendeu Banespa e Palmeiras, entre 1986 e 1996. Como treinador, comandou Banespa, Pinheiros, Vôlei Futuro, no Brasil, e o Murcia, na Espanha. Na função de auxiliar-técnico,  Coco se destacou na seleção brasileira feminina, como assistente de José Roberto Guimarães, onde conquistou muitos títulos importantes.    

    Confira os títulos do novo treinador:

    Seleção Brasileira

    Bicampeão Olímpico Pequim 2008 e Londres 2012

    Octacampeão do Grand Prix (2004-2005-2006-2008-2009-2013-2014-2016)

    Hexacampeão do Sul-americano (2003-2005-2007-2009-2011-2013)

    Tetracampeão da Montreux Volley Masters (2005-2006-2009-2013)

    Vice-campeão Mundial (2006-2010)

    Clubes

    Tetracampeão Sul-americano: Atleta (1988-1989-1990-1991)

    Campeão Brasileiro: Atleta (1987-1989-1990-1991)

    Campeão da Superliga: Assistente Técnico (2002-2003-2004)

    Campeão Paulista: Atleta (1989-1990-1991)

    Assistente Técnico (1997-2001-2002-2004)

    Técnico (2003-2005-2009-2010-2011)

    Bicampeão Espanhol (2006-2007)

    Bicampeão da Copa da Rainha (Espanha 2007-2008)

    Campeão da Supercopa da Espanha (2007)

    Campeão Europeu da Top Teams Cup (2007)

  • Agora é oficial. Dentil/Praia Clube confirma saída do técnico Ricardo Picinin

    Foto: Divulgação Praia Clube

    Redação

    A equipe do Dentil/Praia Clube confirmou na tarde desta terça-feira, (25/04), que o técnico Ricardo Picinin não comandará a equipe na próxima temporada. No início do mês, antes do fim da Superliga Feminina, a diretoria do Praia Clube tinha sinalizado que Picinin não seguiria no comando da equipe, após liberar toda a comissão técnica.

    Nesses anos que esteve no comando da equipe mineira, Picinin se mostrou um dos melhores treinadores de voleibol do país. Em três temporadas na Superliga, conquistou o resultado mais expressivo do voleibol praiano em toda a história, o vice-campeonato na edição 2015/2016 do maior campeonato da modalidade no Brasil e um dos mais relevantes do vôlei mundial.

    Foi bicampeão campeão mineiro 2014/2015, vice-campeão da Supercopa 2017, vice-campeão da Copa Brasil 2016 e vice-campeão Sul-Americano.

    Ao todo, Ricardo Picinin dirigiu a equipe do Dentil/Praia Clube em 104 partidas oficiais, tendo conquistado 72 vitórias.

    A expectativa é que o Praia Clube anuncie a qualquer momento o novo comando técnico, o que tudo indica é que o treinador Paulo Coco, ex-Camponesa/Minas, assuma a vaga deixada por Ricardo Picinin.