• Superliga masculina: Lebes Canoas estreia com vitória em casa

    Créditos: Fernando Potrick | Gama

    Redação

    O Lebes Canoas levou a melhor sobre o Montes Claros Vôlei. Jogando em casa, no ginásio La Salle, em Canoas, a equipe gaúcha venceu por 3 sets a 0, com parciais de 26/24, 25/22 e 25/23. O destaque ficou por conta do oposto Leandrão, eleito o melhor do jogo, e dono do Troféu VivaVôlei CIMED, e, ainda, maior pontuador da partida, com 24 pontos.

    O jogo foi bastante equilibrado durante os três sets, mas o Montes Claros Vôlei perdeu muitas oportunidades em fechar os sets e deixou a primeira vitória escapar.

    No próximo sábado (2110), o Pequi Atômico estreia em casa pela segunda rodada da Superliga, diante da sua apaixonada torcida. O jogo será às 11h, contra o time mineiro de Juiz de Fora Vôlei, com transmissão ao vivo pelo canal SporTV.

    Os ingressos terão valor único de R$ 10,00 e parte do valor será destinada às vítimas da tragédia em Janaúba. Os ingressos estarão disponíveis a partir da próxima terça-feira, na Líder Notebooks, dentro do Montes Claros Shopping e na Matriz da Drogaria Minas Brasil. Ainda, na portaria do ginásio, duas horas antes da partida.

    Já o Lebes Canoas joga no mesmo dia, fora de casa, contra Campinas, às 21h30.

  • Superliga masculina: Atual campeão, Sada Cruzeiro vence na estreia

    Créditos: Divulgação/Corinthians-Guarulhos

    Redação

    Em São Paulo, no ginásio do Parque São Jorge, o Sada Cruzeiro enfrentou o estreante Corinthians Guarulhos, foi superior e venceu o adversário de virada por 3 sets a 1, com parciais de 29/31, 25/18, 25/15 e 25/22. A partida, válida pela primeira rodada da Superliga 2017/18, aconteceu na noite deste sábado, 14/10, e os mineiros voltam para casa com os primeiros três pontos na bagagem.

    Com exceção do primeiro set, que foi mais disputado e contou com uma reação do time da casa na reta final, o elenco cinco estrelas dominou a partida, mostrando mais regularidade e consistência nos fundamentos.

    O oposto Evandro foi o maior pontuador com 16 marcações, seguido por Simon com 13. Outro destaque na partida, o cubano Leal foi responsável por 11 pontos e também foi escolhido o melhor jogador em quadra, em votação pela internet.

    “Iniciar um campeonato brasileiro com um resultado positivo é muito bom e com certeza a gente sai muito feliz por essa vitória. Jogar contra o Corinthians na casa deles não é fácil e foi um jogo bem difícil. Acho que o nosso saque fez a diferença, nós forcamos bastante. Agora é ir pra casa, descansar um pouco e já pensar na próxima partida”, afirmou Leal.

    Na segunda rodada da Superliga, o time paulista receberá o Minas Tênis Clube no ginásio Ponte Grande, em Guarulhos, no domingo (22.10), às 13h, com transmissão ao vivo da RedeTV. Já o Sada Cruzeiro jogará em casa, no ginásio do Riacho, em Contagem, contra o Sesc RJ no sábado (21.10), às 19h.

    Os ingressos para a partida contra os cariocas começarão a ser vendidos na segunda-feira, a partir das 14h, no site centraldoseventos.com.br e vários postos físicos. O custo do bilhete é R$15, com meia-entrada a R$ 7,50.

  • Superliga masculina: Sesc RJ estreia com vitória sobre o Taubaté

    Créditos: Erbs Jr.

    Fonte: Assessoria Sesc RJ

    Estreando na Superliga, o Sesc RJ superou o EMS Taubaté Funvic por 3 sets a 1, com parciais de 25/22, 25/19, 23/25 e 25/19. A partida que abriu a temporada da competição ocorreu no Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro, e contou com nove atletas da Seleção Brasileira. 

    A equipe carioca contou com o apoio do público, que lotou o ginásio, com mais de 1100 pessoas presentes. Desde o primeiro set, empolgados com a torcida, o Sesc RJ dominou o confronto, com diversos jogadores apresentando forte atuação e mostrando suas habilidades. Caso do oposto PV, que chamou a atenção pela performance em quadra e ganhou o troféu Viva Vôlei. 

    “De cara pegamos uma equipe muito boa como o Taubaté. É importante para o grupo começarmos com essa vitória. A garra e a vontade foram maiores hoje. Agora teremos outra pedreira pela frente, com o Sada Cruzeiro, essa semana vai ser de treino forte e foco”, disse o oposto. 

    O bom desempenho da equipe do técnico Giovane se manteve na segunda parcial, que chegou a abrir uma vantagem com o placar marcando 14/7. Apesar da reação, o Taubaté não conseguiu manter o ritmo, mas levou a melhor no terceiro set, quando fechou a parcial com 23/25. No último set, a disputa foi equilibrada, mas o Sesc RJ conseguiu impor ritmo de jogo e fechar o confronto com vitória. 

    “Voltar à Superliga é sempre muito bom. O time hoje jogou muito bem, os talentos individuais sem dúvida fizeram grande diferença. Como time podemos melhorar algumas questões na defesa, mas hoje a gente aproveitou a oportunidade e trabalhou bem”, analisa o técnico Giovane Gávio. 

    A próxima partida do Sesc RJ será no sábado (21), quando enfrenta o Sada Cruzeiro, às 19h, no Ginásio Riacho, em Contagem.

  • Superliga masculina: Sesi-SP estreia com vitória contra o Maringá

    Créditos: Amanda Demétrio/Fiesp

    Fonte: Amanda Demétrio – Assessoria de Imprensa SESI-SP / FIESP

    Começou bem a campanha do Sesi-SP na temporada 2017/18 da Superliga masculina de vôlei. Com a vitória fora de casa por 3 sets a 0 (25/22, 25/22 e 25/13) sobre o Copel Telecom Maringá Vôlei na noite deste sábado (14/10), no ginásio Chico Neto, o time conquistou os três primeiros pontos da maratona de quatro jogos  no território adversário.

    Estrear fora de casa não é fácil, mas quando se consegue transformar a ansiedade em vitória as coisas mudam. Mesmo com pouco material para estudos prévios do adversários, o placar positivo evidenciou que o grupo, comandado pelo técnico Rubinho, está no caminho certo. Mesmo cometendo alguns erros e com alguns deslizes no entrosamento, o Sesi-SP foi superior, conseguiu anular a força dos donos da casa, que tinham a torcida a seu favor, e ficou com a vitória.

    O grupo da Vila Leopoldina entrou em quadra com o central Aracaju e o ponteiro Renato no lugar do Gustavão e Lipe, e com muito entrosamento, soube impor seu ritmo de jogo desde o início. O Maringá, que contou com as forças do levantador Ricardinho, do oposto Alisson e dos ponteiros Thiago Alves e Kaio, deu um certo trabalho nos dois primeiros sets, pontuaram e chegaram a incomodar a defesa do Sesi-SP.

    Mesmo atrás no marcador, o time de Maringá não se abateu, contou com o apoio da fiel torcida que compareceu ao Chico Neto e evoluiu. Mas a noite era do jovem o oposto Alan. Distribuindo bem as bolas entre seus atacantes, o levantador William sentiu que o camisa 1 vinha num bom momento e apostou suas fichas. Alan correspondeu a altura e não deu chances para o adversário, fechando a última parcial com doze pontos de vantagem.

    Para o ponteiro Douglas Souza, a ansiedade é normal, não tem como evitar, mas o grupo soube controlar e impor seu jogo. “Ansiedade na estreia é uma coisa normal, todos os times têm. O conhecer os atletas do outro lado também não muda muita coisa porque eles também nos conhecem. Na hora do jogo é que vale mesmo. Nós estudamos, conseguimos fazer o que foi proposto e começamos bem. O grupo entrou bem e saiu com o resultado”, comentou o camisa 14, que ainda ressaltou a importância da vitória para sequência dos jogos.

    “Esse resultado é extremamente importante, não só por ser uma estreia, mas também por ter sido um jogo fora. Nós temos ai uma sequência pesada de quatro confrontos na casa do adversário e só depois vamos para nossa casa. Então, todo esse trabalho servirá para nos dar confiança e chegar em casa bem e seguir crescendo na competição”, finalizou.

    Autor de 20 pontos, sendo três de bloqueio, o oposto Alan, atleta do Sesi-SP, foi o maior pontuador da partida e garantiu o troféu Viva Vôlei. Pelo Maringá, Alisson Bastos anotou 10 pontos.

  • Sub 20 masculino 2ª Divisão: Bahia supera Mato Grosso do Sul e conquista o título

    Bahia (azul) conquistou o ouro na final
    (Créditos: Divulgação/CBV)

    Redação

    A seleção estadual da Bahia conquistou nesta sexta-feira (13.10) o título do Campeonato Brasileiro de Seleções Sub-20 Masculino da Segunda Divisão. A equipe superou o Mato Grosso do Sul por 3 sets a 2 (25/21, 25/27, 19/25, 25/18, 15/9), em 2h16 de duração no ginásio Presidente Fernando Collor, em Maceió (AL). Os dois finalistas já haviam garantido o acesso à primeira divisão em 2018 pela colocação geral.

    Quem também comemorou foi a equipe de Rondônia, que na disputa do terceiro lugar venceu Alagoas também por 3 sets a 2 (27/25, 19/25, 17/25, 29/27, 15/4), em 2h06. A vitória fez a equipe do Norte também garantir vaga à primeira divisão do CBS em 2018, já que os três primeiros colocados da classificação geral conseguem o acesso.

    Outros dois jogos também definiram a classificação geral nesta sexta-feira. Na disputa de quinto lugar, vitória por 3 sets a 1 (20/25, 28/26, 21/25, 23/25) do Espírito Santo sobre o Rio Grande do Norte, em 1h48 de duração. Já na partida valendo o sétimo lugar, triunfo no tie-break do Tocantins sobre o Acre, com parciais de 29/31, 25/22, 25/19, 23/25, 14/16, em 1h54.

    A competição contou com formato de oito equipes divididas em dois grupos, se enfrentando entre si na primeira fase. Os dois melhores de cada chave avançaram às semifinais. Na Primeira Divisão, os três últimos colocados foram rebaixados e jogam a Segunda em 2018. São eles os estados de Amazonas, Goiás e Maranhão.

  • Primeira edição do Campeonato Brasileiro Interclubes começa neste domingo

    Primeira edição do CBI será no Clube Mackenzie
    (Créditos: Divulgação/Mackenzie)

    Redação

    A semana no Clube Mackenzie, em Belo Horizonte (MG), será movimentada pelo primeiro Campeonato Brasileiro Interclubes, que é realizado pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) em parceria com o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC). A competição sub-16 feminina contará com a participação de 16 times e terá início neste domingo (15.10), terminando somente na sexta-feira (20.10), com oito jogos por dia nas três primeiras rodadas.

    As equipes estarão divididas em quatro grupos de quatro. No A, estarão Mackenzie Esporte Clube, Clube Curitibano, Sogipa e P.M. Betim. Na Chave B, Minas Tênis Clube, Círculo Militar do Paraná, Recreio da Juventude e Flamengo F.R. O grupo C contará com Praia Clube, Santa Mônica, Grêmio Náutico União e BNB Fortaleza. E o D terá a participação de Olympico Club, Duque de Caxias, Fluminense F.C e Sada Argos Neev.

    Um dos responsáveis pela idealização deste campeonato, o Superintendente de Competições de Quadra da CBV, Renato D´Ávila, destaca a importância de aumentar a quantidade de jogos para as categorias de base dos clubes brasileiros.

    “Este é um campeonato que, sem sombra de dúvidas, é a realização de um sonho de muitos, o trabalho de alguns, mas certamente a realização de todos. Teremos esta parceria até 2020, o que viabilizará mais jogos para nossos atletas em formação”, disse Renato D´Ávila.

    Atenta a importância de manter as categorias de base em atividade, a CBV já realiza o Campeonato Brasileiro de Seleções (CBS), onde as equipes são formadas por suas federações locais. Agora, porém, com o CBI, os clubes também contarão com um torneio nacional para proporcionarem rodagem e experiência aos jovens atletas.

    O Campeonato Brasileiro Interclubes conta com as categorias são Sub-15, Sub-16, Sub-18 e Sub-20, no gênero feminino, e Sub-16, Sub-19 e Sub-21 no masculino, e será realizado, neste primeiro ano, até o mês de dezembro.

  • Vôlei Nestlé perde invencibilidade em casa, mas conquista o hexacampeonato paulista

    Equipe completa festeja
    (João Pires / Fotojump)

    Fonte: ZDL – Rafael De Marco

    O Vôlei Nestlé é hexacampeão paulista. A equipe de Osasco bateu o Hinode Barueri no golden set e conquistou o sexto título estadual consecutivo. O Hinode Barueri venceu a segunda partida em uma batalha de cinco sets e mais de 2h30, com parciais de 26/24, 25/23, 23/25, 22/25 e 15/12. Mas, no set desempate, deu Vôlei Nestlé por 25/23, para levar à loucura a torcida de cerca de 4 mil pessoas, que lotaram o ginásio José Liberatti e jogaram junto com o time, na noite desta sexta-feira (13). O destaque da maratona final do Campeonato Paulista, que demorou três horas para ser definida, foi Tandara com 33 pontos, seguida de Bia, com 19. Agora a equipe volta sua atenção para a estreia na Superliga, na próxima terça-feira (17), às 19h30, diante do mesmo adversário da decisão de hoje, em Barueri.

    Tandara salientou a coragem do time e a força da torcida. “Elas vieram muito melhor que no último jogo, com saque mais difícil. Acho que passamos bem, mas faltou um pouco de decisão em alguns momentos. Particularmente, tomei três bloqueios em decisão erradas no golden set (no 23/23) e eu tinha que rodar as duas últimas bolas. Graças a Deus deu certo. Mas o importante é a conquista de mais um título para o Vôlei Nestlé e para essa torcida sensacional, responsável por puxar a gente o tempo todo e nunca deixar de acreditar”, analisou.

    Para Bia, o fator psicológico deu o tom da decisão. “Sabíamos que elas iriam jogar bem taticamente, mas entramos muito nervosas em quadra. Apresentamos muitos altos e baixos ao longo do jogo, e fica a lição de que precisamos trabalhar mais para nos tornarmos regulares. Estou muito feliz em trazer mais um título para a torcida de Osasco e para o Vôlei Nestlé pela sexta vez. O troféu continua em casa, mas não tenho nem forças para comemorar depois de seis sets e tanta tensão. Ainda bem que os torcedores estão fazendo a festa. Eles deram um show”, afirmou.

    Spencer Lee expressou sua gratidão pela confiança de Luizomar Moura. “Agradeço ao Luizomar, que está comandando a seleção do Peru e me deu a oportunidade de estar à frente desse grupo no Campeonato Paulista. Quero dedicar o título para ele e também agradecer ao Vôlei Nestlé por toda a estrutura”, disse o treinador, que completou. “Foi difícil, Barueri foi taticamente muito bem, soube como anular várias de nossas ações ofensivas, mas prevaleceu a vontade de vencer do nosso time, de se superar e trazer esse torcedor para dentro da quadra e conquistar mais um titulo em nosso ginásio”.

    Mari Paraíba concordou. “O jogo foi superação. Todos os sets foram definidos em pequenos detalhes. Voleibol é isso. No primeiro jogo, foi atípico. Atuamos muito bem e elas não conseguiram jogar. Já nesta noite, elas vieram mais fortes, sacaram e passaram bem e viraram as bolas, por isso complicaram para a gente. Mas apesar das dificuldades, estou muito feliz em voltar para Osasco e já conquistar este título”, explicou.

    Superliga – Após levantar o troféu do Campeonato Paulista, jogadoras e comissão técnica do Vôlei Nestlé voltam suas atenções para a Superliga 2017/18. A estreia será na próxima terça-feira (17), a partir das 19h30, em Barueri, novamente contra o Hinode. Já a primeira partida em casa pela competição nacional será na sexta-feira (20), quando recebe o Renata Valinhos/Country, às 19h30, no José Liberatti.

  • Sesc RJ é tricampeão da Supercopa

    Créditos: Jarbas Oliveira/MPIX/CBV

    Fonte: Patricia Diniz

    O time feminino do Sesc RJ conquistou o tricampeonato na Supercopa ao derrotar o Camponesa/Minas por 3 sets a 2, com parciais de 21/25, 25/22, 25/19, 19/25 e 15/10 nesta sexta (13.10), em Fortaleza. O time do técnico Bernardinho se prepara agora para enfrentar seu primeiro adversário na Superliga, o Sesi SP, na próxima terça (17.10). A partida será às 21h30, em São Paulo, com transmissão ao vivo pela Sportv. Atual campeão da Superliga, o feminino do Sesc RJ conquistou o título por 12 vezes, vencendo as últimas cinco temporadas consecutivas.

    Destaque dessa Supercopa, a central Juciely avaliou a dificuldade da partida. “Enfrentar o Minas nunca é fácil, é sempre um desafio que já ficou marcado ao longo dos anos. Neste ano, o time se modificou bastante, eles têm uma levantadora nova de muita velocidade. Por isso, o jogo começou ponto a ponto mas, no segundo set, começamos a mudar a cara, errar um pouco menos e parar as bolas de velocidade, o que foi decisivo para nossa vitória”, diz. A atleta que está voltando a jogar após se recuperar de uma cirurgia, fala sobre a alegria de entrar em quadra: “Estou feliz demais de poder voltar a jogar e ajudar o time, mas a força do grupo é o que vale e é isso que vai nos ajudar na Superliga, que promete ser muito equilibrada”.

    O Sesc RJ começou o primeiro set muito bem, mas passou a sofrer no passe e, com isso, o Minas cresceu na partida e, após passar à frente, dominou a parte final, fechando o primeiro set a 21/25. No segundo, o Sesc RJ ainda começou sob o impacto do primeiro, mas seguiu se recuperando. O time voltou a sacar melhor e colocou pressão na equipe mineira. A entrada da Juciely, que volta a jogar após ficar afastada por uma cirurgia, deu um pouco mais de força no bloqueio e o time do Rio de Janeiro fechou a parcial por 25/22.

    Com a confiança renovada pela vitória no segundo set, o Sesc RJ começou o terceiro impondo um ritmo de jogo forte. Com bons saques, os ataques de Drussyla e Monique e os bloqueios de Juciely e Mayhara, o time foi abrindo vantagem até fechar o set com tranquilidade. No quarto set, o time do Sesc RJ entrou nitidamente nervoso, apesar da vantagem e viu, sem reagir, o Minas abrir larga vantagem, dominar o set e levar a decisão ao tie-break. No último set, o time do Rio errou menos e manteve vantagem e fechou o placar por 15/10.

  • Time masculino de vôlei do Sesi-SP estreia em mais uma edição da Superliga

    Créditos: Helcio Nagamine/Fiesp

    Fonte: Amanda Demétrio – Assessoria de Imprensa SESI-SP / FIESP

    Foi dada a largada para mais uma edição da Superliga Masculina. E pela segunda vez consecutiva o time de vôlei do Sesi-SP terá pela frente o Copel Telecom Maringá Vôlei como primeiro adversário. Assim como na última temporada, os meninos da capital paulista seguem para Maringá/PR na estreia do nacional. A partida entre as equipes acontece neste sábado (14/10), às 18h30, no ginásio Chico Neto.

    Depois da Copa São Paulo e do Campeonato Paulista, o principal campeonato de vôlei do país entrará em cena. Com campeões olímpicos, mundiais, velhos conhecidos e novas equipes, a temporada 2017/18 promete ser das mais disputadas. E assim como o grupo da capital paulista, Rubinho, o novo técnico do Sesi-SP, também possui um histórico de estreias contra o time paranaense.

    “Eu tenho algumas situações interessantes com relação ao Maringá. Eu trabalhei em Maringá no início da minha carreira em Superliga e tive tanto estreias de equipes paulista contra o grupo de lá, quanto também tive, como assistente técnico de Maringá, jogos de estreia contra equipes paulistas. E quando eu vim trabalhar no Banespa eu tive mais uma experiência de estrear na Superliga contra o grupo do Paraná”, comentou o técnico, que retorna ao comando de uma equipe no nacional após quatro temporadas acompanhando de fora.

    “A última temporada que eu dirigi uma equipe na Superliga foi na edição 2012/13 com o São Bernardo. Porém nesses últimos quatro anos, eu não estava dentro de quadra efetivamente, mas fiquei por dentro da competição em função da Rio 2016, acompanhando os jogadores da seleção o tempo todo. Quando não conseguia ir aos ginásio, assistia pela TV e acompanhava as estatísticas”, explicou.

    O time da indústria chega para a 24ª edição com força total e reformulada, na qual busca o segundo título nacional. A começar pela comissão técnica, com a chegada do comandante Rubinho. No elenco, passaram a defender o Sesi-SP os levantadores William, multicampeão com o Sada Cruzeiro e Evandro, os ponteiros Lipe, campeão olímpico, Piá e Renato Russomano, o central Gustavão e os opostos Alan e Franco. Douglas Souza e Lucão, também medalhistas na Rio 2016, além do Aracaju permanecem no time.

    E o estreante no comando da equipe paulista não mede esforços para preparar seu grupo e acredita em uma das edições mais difíceis dos últimos anos. Para Rubinho, o jogo contra o Maringá será tão importante quanto qualquer outra partida do calendário. “Será um jogo muito importante para que você trabalhe para conquistar a melhor colocação possível e desenhe uma continuidade de trabalho positiva. Vamos encarar com muita seriedade, e trabalhar da melhor forma para adquirir o melhor possível. Maringá é uma região que sempre temos bastante público, é difícil jogar lá”.

    “A minha expectativa é a melhor possível. Nós temos um elenco bastante interessante, homogêneo, forte. Mesclamos jogadores com muitas conquistas, inclusive internacionais, com os atletas mais jovens, que tem ai um bom potencial de crescimento e de se tornarem grandes protagonistas do campeonato nessa temporada. Temos evoluído bastante nos treinos, inclusive agora com a equipe praticamente completa”, completou. 

    Na nona temporada seguida da Superliga, o Sesi-SP, campeão no segundo ano de criação (2010/11), busca o segundo título após ficar com o terceiro lugar na edição passada e um vice-campeonato na temporada 2014/15, quando eliminou o Taubaté e encarou o Sada Cruzeiro na briga pelo título.

  • São Cristóvão Saúde/São Caetano estreia contra Minas na Superliga feminina

    Créditos: Divulgação São Caetano

    Fonte: Assessoria São Cristóvão Saúde/São Caetano

    Vai começar a 24ª edição da Superliga de vôlei feminino, a principal competição do esporte do Brasil, e o São Cristóvão Saúde/São Caetano já estreia com a difícil missão fora de casa contra o Camponesa/Minas Tênis, na próxima terça-feira (17), às 20h, no Ginásio Arena Minas, em Belo Horizonte (MG).

    A competição contará com 12 equipes, além do São Cristóvão Saúde/São Caetano participarão também Sesi/SP, Sesc/RJ, Fluminense (RJ), Vôlei Nestlé (SP), E.C. Pinheiros (SP), Renata Valinhos/Country (SP), Vôlei Bauru (SP), BRB/Brasília Vôlei (DF), Dentil/Praia Clube (MG), Camponesa/Minas (MG) e Hinode Barueri (SP).

    O técnico Hairton Cabral, do São Caetano, acredita que esta Superliga 2017/18 será uma das mais disputadas dos últimos anos. “Os times estão muito nivelados, então acredito que é difícil apontar um favorito. Nós estamos trabalhando muito e esperamos ficar entre os oito nesta temporada”, afirma o técnico.

    Já a capitã Sonaly espera um jogo difícil com o atual campeão mineiro. “O Minas venceu o Praia Clube, que é um dos times com maior investimento nesta Superliga, no Campeonato Mineiro e estão com uma equipe muito forte e jogadoras experientes. Acredito que encontraremos muitas dificuldades, mas estamos nos preparando para fazer um bom jogo em Belo Horizonte”, completa a capitã.

    Entre as 24 equipes que participarão da Superliga 17/18, duas disputarão a competição pela primeira vez – Hinode Barueri (SP) e Sesc-RJ. No feminino, o time de Barueri (SP) tem no comando o treinador tricampeão olímpico José Roberto Guimarães e no masculino, a equipe carioca é liderada pelo bicampeão olímpico, Giovane Gávio.

    O São Caetano fará sua estreia em casa somente no próximo dia 31 contra o rival Nestlé/Osasco, às 20h, no ginásio Lauro Gomes, em São Caetano do Sul.