• Vôlei Nestlé vence duelo contra Sesi-SP pelo Paulista feminino

    foto: João Pires/Fotojump
    foto: João Pires/Fotojump

    Fonte: Redação

    A equipe do Vôlei Nestlé não tomou conhecimento do fato de jogar fora de casa e derrotou nesta sexta-feira (18.09) a equipe do Sesi-SP, por 3×0, parciais de 25/16, 25/19 e 25/17, em 01h21. Com esse resultado a equipe de Osasco garantiu a liderança isolada da competição com 15 pontos. A ponteira Ivna foi a pontuadora com 19 pontos, curiosamente no primeiro set ela ajudou a equipe abrir 6×0 numa sequencia fulminante de saques potentes para cima das meninas do Sesi, minando com isso todo sistema defensivo da equipe paulista.

    Para o técnico Luziomar de Moura, o saque agressivo foi importante, pois acabou construindo com isso uma relação bloqueio e defesa muito forte. Isso quebrou a confiança do adversário, analisou o treinador.

    A próxima partida do Vôlei Nestlé encerra a fase de classificação diante do São Cristóvão Saúde/São Caetano, na próxima sexta-feira (25), em Sorocaba.

    AS EQUIPES:

    Vôlei Nestlé: Diana, Ivna, Marjorie, Saraelen, Gabi, Elisângela, Dani Terra, Carla, Suelle e Carcaces.

    Sesi-SP: Carol Leite, Andréia, Bia, Angélica, Ellen, Sabrina, Suelen, Amábile, Pri Heldes, Ana Carolina e Michelle Daldegan.

     

  • Seleção Masculina Juvenil enfrenta a Rússia na semifinal do Mundial

    Fonte: CBV

    O Brasil enfrenta neste sábado (19.09), em Tijuana (MEX), a Rússia, pela semifinal do Mundial Juvenil Masculino, às 23h (horário de Brasília). Se ganhar, jogará a final no domingo (20.09), contra o vencedor do duelo entre Argentina e China.

     Após a vitória em cinco sets contra a Turquia, nesta quinta-feira (17.09), que assegurou a classificação do time brasileiro à semifinal, o treinador Léo Carvalho, que comanda a seleção juvenil masculina desde 2011, comentou qual é a estratégia para passar pelos russos e seguir na busca do quinto título na competição.

     “Precisamos sacar bem para conseguir passar pelos russos na semifinal. Não os vejo com uma recepção muito consistente. O ataque é muito forte e se jogar com conforto, tende a atropelar. Se conseguimos sacar com eficiência poderemos fazer uma grande partida”, explicou.

    A Rússia está invicta e conta com a base de atletas que conseguiu o título no Mundial Sub-23, em Dubai, no mês passado. Entre os destaques está o levantador Pavel Pankov, até aqui melhor saque do campeonato. E para anular esta arma russa o Brasil conta com o líbero Rogerinho, que lidera as estatísticas de recepção.

    “É muito importante segurar o passe e rodar a bola de primeira. O Pankov tem um saque muito forte e uma pequena margem de erro. Será um desafio complicado, mas se conseguirmos evitar que eles criem confiança no saque poderemos impor nosso jogo”, disse Rogerinho.

    Outro atleta que tem muita responsabilidade na linha de passe é o ponteiro Douglas Souza, que tem a segunda melhor recepção do campeonato. Para o jogador, é fundamental ter um bloqueio bem posicionado e sacar bem.

    “Acho que a chave do jogo é defender e sacar bem, nosso bloqueio precisa estar bem colocado. Vamos aproveitar os treinos que antecedem a partida para preparar isso. Segurar o saque deles e virar as bolas nas extremidades também será um fator fundamental”, contou o jogador.

    Antes do duelo entre brasileiros e russos, Argentina e China brigam pela outra vaga na final.

  • Vôlei de Praia – Circuito Brasileiro tem final amanhã no feminino

    Fonte:  CBV

    Ágatha/Bárbara Seixas (PR/RJ) e Larissa/Talita (PA/AL) dividiram o mesmo palco na última quarta-feira (16.09), quando foram anunciadas representantes do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Três dias depois elas estarão frente a frente na decisão da etapa de Contagem (MG) do Circuito Brasileiro Vôlei de Praia Open. A final ocorre neste sábado (19.09), a partir das 19h45, com transmissão ao vivo do SporTV.

    A competição ocorre no Parque Linear da Ressaca, em frente ao Shopping Contagem, com entrada franca à torcida. Além da transmissão da final da etapa, a disputa da medalha de bronze, entre Juliana/Maria Elisa (CE/PE) e Duda/Elize Maia (SE/ES), também será exibida ao vivo no SporTV e no site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), no link http://cbbvp.cbv.com.br/index.php/aovivo.

    No caminho até a final, Ágatha e Bárbara Seixas começaram o dia com triunfo por 2 sets a 1 (21/18, 12/21, 16/18) sobre Fernanda Berti/Taiana (RJ/CE), ainda pelas quartas de final. Horas mais tarde, a vitória na semifinal veio contra Juliana/Maria Elisa (CE/PE), por 2 sets a 0 (23/21, 21/12), colocando a dupla novamente em uma final de uma etapa do circuito nacional.

    Será o 13º confronto entre as duas duplas. No retrospecto, Larissa e Talita somam 10 vitórias, contra dois triunfos de Ágatha e Bárbara Seixas. A final também é uma repetição da decisão do Rio Open, etapa brasileira do Circuito Mundial, ocorrida há duas semanas. Empolgada pela classificação, Bárbara Seixas explica a motivação em disputar a primeira final após conquistar a vaga aos Jogos de 2016.

    “O que muda é a motivação, quando você tem a sensação de um dever cumprido, de alcançar os objetivos iniciais, isso é muito bacana. Mas sabemos que temos muito trabalho pela frente e que aqui no Circuito Brasileiro o nível é muito forte, enfrentamos as mesmas duplas que encaramos lá fora, as brasileiras. Nós temos uma vontade muito grande de dar o nosso melhor sempre, independente de estarmos com a vaga ou não. Queremos voltar ao lugar mais alto do pódio em uma etapa do Brasileiro”, disse Bárbara, que completou.

    “A gente está bem fisicamente, claro que o corpo vai pedindo um pouco de descanso, mas em relação aos outros anos, nosso trabalho está evoluindo cada vez mais. A cabeça também, dá uma certa aliviada, muita pressão que passamos. Jogando feliz e com leveza, jogamos bem. Além disso, a Maíra Ruas, nossa psicóloga, está sendo importante demais, ela faz um trabalho muito importante, deixando o ambiente da nossa equipe fantástico”.

    Já Larissa e Talita (PA/AL) chegaram à decisão vencendo Ângela/Rachel (DF/RJ) por 2 sets a 0 (21/10, 21/11), ainda pelas quartas de final. No duelo seguinte, pela semifinal, novo triunfo por 2 sets 0 (21/16, 21/14), desta vez sobre Duda/Elize Maia (SE/ES), garantindo a segunda final consecutiva do tour nacional nesta temporada. Após a vaga, Talita explicou a ‘fome’ de conquistas da parceria formada em julho de 2014.

    “Acho que o espírito do nosso time é esse. A Larissa brinca que não gosta de perder nem par ou ímpar. Sempre queremos mais e estamos nos motivando a cada torneio. Agora, estamos jogando o Circuito Brasileiro e queremos manter o título. Sempre vamos procurar coisas para nos motivar. O meu avô, que tem 90 anos, sempre assiste meus jogos e isso é uma motivação a mais. A minha família é a minha base e fico muito feliz de ter o apoio deles”, disse Talita, que completou.

    “Elas estão atravessando um bom momento há um tempo. Isso mostra que o Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia Open é um torneio forte. Sempre os times que chegam entre os quatro são equipes de qualidade. Nós vamos repetir a final do Rio Open contra Ágatha e a Bárbara e tenho certeza que vamos ter um grande jogo. As duas duplas estão em um bom momento”.

    Cada dupla campeã de uma etapa do Open soma 400 pontos no ranking da temporada, além de levar para casa um prêmio de R$ 45 mil. Todas as equipes são premiadas, e somando os dois naipes, o torneio distribui mais de R$ 420 mil aos atletas.

    O Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia terá nove etapas (cinco em 2015 e quatro em 2016) e uma edição do SuperPraia, com campeões independentes. Depois de Brasília e, agora, Contagem (MG), o tour ainda passará neste ano por Goiânia (GO), Bauru (SP) e Curitiba (PR). As quatro etapas de 2016 e o SuperPraia, que reúne as oito melhores duplas da temporada, ainda terão suas cidades confirmadas.

    FINAL
    Larissa/Talita x Ágatha/Bárbara Seixas – 19h45

    BRONZE
    Juliana/Maria Elisa x Duda/Elize Maia – 19h

  • Vôlei de Praia – Circuito Brasileiro já tem quartas de finais definidas

    Fonte:  CBV

    Anunciados na última quarta-feira como representantes do Brasil nos Jogos Olímpicos de 2016, Alison/Bruno Schmidt (ES/DF) e Pedro Solberg/Evandro (RJ) estão entre as oito equipes que avançaram às quartas de final da etapa de Contagem (MG) do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia Open. O torneio masculino teve sua largada nesta sexta-feira (18.09), com 20 partidas pela fase de grupos e repescagem que levantaram a arena montada no Parque Linear da Ressaca.

    As quartas de final ocorrem neste sábado (19.09), a partir das 11h30, e terão os seguintes confrontos: Ricardo/Emanuel (BA/PR) encara Guto/Saymon (RJ/MS), Álvaro Filho/Vitor Felipe enfrenta Léo Gomes/Bernat (RJ), Arthur Lanci/Eduardo Davi (PR) joga contra Luciano/Márcio Araújo (ES/CE) e Pedro Solberg/Evandro enfrenta Alison/Bruno Schmidt. Ainda no sábado ocorrem as partidas das semifinais. A disputa de bronze e a final serão no domingo (20.09), com transmissão ao vivo do SporTV a partir das 10h.

    Álvaro Filho/Vitor Felipe (PB), Arthur Lanci/Eduardo Davi (PR), Pedro Solberg/Evandro (RJ) e Ricardo/Emanuel (BA/PR) venceram os dois jogos na fase de grupos, terminaram em primeiro na chave e avançaram direto às quartas de final da competição de maneira invicta. Embalado após ser convocado para os Jogos de 2016, Evandro comemorou a boa largada da dupla na etapa.

    “A ficha vai caindo aos poucos, é um primeiro passo importante e agora teremos a segunda etapa do ciclo. Mas estamos aqui em busca de mais um título. O Circuito Mundial exige bastante da parte física, mas trabalhamos forte e queremos essa conquista. Não disputamos a primeira etapa e queremos chegar longe, buscando sempre um lugar no pódio. Motivados pela conquista da vaga nos Jogos Olímpicos é ainda mais prazeroso”, declarou o carioca.

    Já Guto/Saymon (RJ/MS), Léo Gomes/Bernat (RJ), Luciano/Márcio Araújo (ES/CE) e Alison/Bruno Schmidt avançaram às quartas de final após vitória na repescagem, por não terem liderado suas chaves. Recuperados após caírem na fase de grupos da primeira etapa, Léo e Bernat comemoram a evolução do time, que para seguir no torneio venceu Jô e George (PB), bronze em Brasília (DF).

    “Estávamos pressionados, se tivéssemos um resultado ruim, cairíamos para o Nacional. E sabemos que o nível atualmente é muito alto. Era vencer ou vencer. Felizmente correspondemos bem, tivemos concentração, tranquilidade e alegria, que é nossa marca. Treinamos duas vezes por dia, fazemos a parte física, trabalho com psicóloga, nutricionista. Se não tivermos alegria, nada funciona. Amanhã vamos buscar mais um degrau, essa semifinal é uma meta antiga e estamos prontos para ela”, disse Bernat.

    “Vamos às quartas de final com a motivação lá em cima. Ainda não chegamos no lugar que a gente quer chegar, estamos mostrando nosso voleibol, com alguns erros ainda, mas amanha vamos tentar minimizar e manter nossa atitude. Eu queria agradecer muito a Clarisse Benício, que é nossa psicóloga e tem feito um trabalho fantástico de visualização. É um lugar onde nós expomos nossos medos, sem medo. Está contribuindo muito para nossa evolução, nosso crescimento, e queremos subir cada vez mais”, disse Léo Gomes.

    Cada dupla campeã de uma etapa do Open soma 400 pontos no ranking da temporada, além de levar para casa um prêmio de R$ 45 mil. Todas as equipes são premiadas, e somando os dois naipes, o torneio distribui mais de R$ 420 mil aos atletas.

    O Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia terá nove etapas (cinco em 2015 e quatro em 2016) e uma edição do SuperPraia, com campeões independentes. Depois de Brasília e, agora, Contagem (MG), o tour ainda passará neste ano por Goiânia (GO), Bauru (SP) e Curitiba (PR). As quatro etapas de 2016 e o SuperPraia, que reúne as oito melhores duplas da temporada, ainda terão suas cidades confirmadas.

    QUARTAS DE FINAL
    Ricardo/Emanuel x Guto/Saymon
    Álvaro Filho/Vitor Felipe x Léo Gomes/Bernat
    Arthur Lanci/Eduardo Davi x Luciano/Márcio Araújo
    Pedro Solberg/Evandro x Alison/Bruno Schmidt

  • Climed/Atibaia perde para o Vôlei São José no Paulista 2015

    Divulgação Atibaia
    Divulgação Atibaia

    Fonte: AEA Esportes

    Após duas vitórias seguidas no Campeonato Paulista Divisão Especial, a equipe masculina Climed/Atibaia perdeu para São José dos Campos por três sets a zero, em partida realizada ontem à noite (17/9), na casa do adversário. As parciais foram de 25/23, 25/15 e 26/24.

    O primeiro e o terceiro set foram bastante equilibrados, com as equipes disputando cada ponto e revezando a vantagem. Mesmo com este resultado adverso, a equipe Climed/Atibaia manteve a 5ª colocação na competição.

    A Climed/Atibaia voltará a jogar na próxima quinta-feira, 24/9, às 19h no Ginásio Elefantão, contra Brasil Kirin/Campinas. Os atletas e a comissão técnica de Atibaia contam com o ginásio lotado para buscar mais uma vitória na competição.

     

  • Campeonato Brasileiro de Seleções – Semifinalistas sobem para 1ª divisão em 2016

    Fonte: CBV

    O Campeonato Brasileiro de Seleções Sub-19 (juvenil) feminino de 2016 já está definido, já que as quatro equipes semifinalistas ascendem de divisão no próximo ano. Mas o CBS de 2015 segue em aberto, mas com apenas quatro Estados com a possibilidade de ficar com o título da categoria da 2ª Divisão. A competição é realizada pela Confederação Brasileira de Voleibol, de 14 a 19 de setembro no Centro de Desenvolvimento do Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ).

    No primeiro confronto do dia, Pará e Tocantins mediram forças para chegar à semifinal. As tocantinenses saíram na frente mas levaram a virada e as paraense venceram por 3 sets a 1 (19/25, 25/17, 25/16 e 25/14).

    O Mato Grosso não teve muitos sustos para vencer o Sergipe por 3 sets a 0 (25/17, 25/18 e 25/17) e será o adversário do Pará na semifinal.

    Jogo tranquilo também teve a Paraíba, que venceu o Amazonas por 3 sets a 0 (25/21, 25/18 e 25/22), e jogará contra o Maranhão, que venceu o Espírito Santo por 3 sets a 1 (14/25, 25/11, 25/09 e 25/15)..

    Na disputa de 9º a 12º lugares, Mato Grosso do Sul venceu o Acre por 3 sets a 0 (25/15, 25/17 e 25/10) e a Bahia virou para vencer Roraima por 3 sets a 2 (23/25, 17/25, 25/21, 25/19 e 15/03). Mato Grosso e Bahia jogam às 17h00 pelo 9º lugar, enquanto Acre e Roraima lutam pelo 11º lugar as 15h30.

    No triangular que vale o 13º lugar, Rondônia venceu o Piauí por 3 sets a 0 (25/14, 25/18 e 25/13) e agora joga contra Amapá às 14h00.

    Na disputa de 5º a 8º lugares, Tocantins e Amazonas jogam às 13h00, enquanto Espírito Santo e Sergipe jogam as 14h30.

    Já as semifinais começam as 16h00, com o jogo entre Pará e Paraíba. Mais tarde, as 17h30, Mato Grosso e Maranhão lutam para ver quem estará na final.

    Os jogos estão sendo transmitidos online pelo site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) no endereço: www.cbv.com.br ou do hotsite do campeonato: cbs.cbv.com.br

  • Seleção Feminina Juvenil avança à semifinais do Mundial em Porto Rico

    Fonte: CBV

    A seleção juvenil feminina do Brasil conseguiu a classificação às semifinais do Mundial da categoria, realizado em Porto Rico. Nesta quinta-feira (17.09), as meninas comandadas pelo técnico Maurício Thomas venceram a Sérvia por 3 sets a 1 (25/14, 27/25, 27/29 e 25/20), em 2h01 de jogo e asseguraram a primeira colocação do grupo E.

    O adversário na próxima etapa será o Japão, segundo lugar do grupo F. O duelo por um lugar na grande decisão acontece nesta sexta-feira, às 21h (hora de Brasília). No confronto contra as sérvias a ponteira Drussyla e a oposta Lorenne foram os destaques com 16 pontos cada.

    Na partida, os erros sérvios foram determinantes para o triunfo brasileiro, ao todo a Sérvia deu 38 pontos desta forma, enquanto o Brasil cedeu 23. O treinador da equipe verde e amarela, Maurício Thomas, ficou bastante contente com o resultado.

    “Conseguimos vencer um grupo dificílimo. Minhas atletas foram muito guerreiras dentro da quadra, o que me deixou muito satisfeito. Agora enfrentaremos o Japão, um time que respeitamos bastante”, comentou o treinador.

    O Brasil ficou com a primeira colocação do grupo E, seguido de Itália, Sérvia e Rússia. Na outra semifinal, as italianas enfrentarão a República Dominicana, única equipe invicta na competição e que derrotou as brasileiras ainda na primeira fase.

  • Seleção Masculina Juvenil vence Turquia pelo Mundial da categoria

    Fonte: CBV

    Em 2h10 de jogo no ginásio do Centro de Alto Rendimento de Tijuana (MEX) a seleção juvenil brasileira venceu a Turquia e garantiu vaga nas semifinais do mundial da categoria. Nesta quinta-feira (17.09), o time comandado pelo técnico Léo Carvalho precisou de cinco sets para bater os turcos (25/22, 25/20, 18/25, 20/25 e 15/9).

    “Fizemos dois bons sets e depois nos perdemos. Nosso bloqueio, apesar de não ter pontuado tanto, conseguiu amortecer os ataques e permitir que tivéssemos a chance de contra-atacar. Imprimimos bom ritmo de virada de bola. O jogo estava bem controlado, mas dois sets não garantem nada e cometemos muitos erros e fomos bloqueados. A Turquia acreditou e mudou o jogo. No quinto set tivemos uma passagem feliz de saque e bloqueio. Fico feliz com a classificação, mas triste com o desempenho do terceiro e quarto sets”, avaliou o treinador.

    Em quadra, o oposto turco Enaboifo marcou 26 vezes e foi o maior pontuador. Pelo lado brasileiro o ponteiro Léozinho veio do banco e tornou-se o melhor em quadra pelo selecionado verde-amarelo, e marcou 24 pontos. O jovem de 20 anos foi bastante acionado pelos levantadores e confessou que a partida poderia ter sido resolvida mais cedo.

    “Ajudei o time no ataque, poderia ter ajudado mais no bloqueio. Mas não era jogo para cinco sets, poderíamos ter vencido em três sets. Nosso time acabou vacilando muito e cedendo pontos bobos. Para a semifinal não poderemos bobear, pois teremos um adversário muito mais duro a frente. Nosso time é bom se entrarmos concentrados”, comentou o jogador.

    “Precisamos sacar bem para conseguir passar pelos russos na semifinal. Não os vejo com uma recepção muito consistente. O ataque é muito forte e se jogar com conforto, tende a atropelar. Se conseguimos sacar com eficiência poderemos fazer uma grande partida”, explicou Léo Carvalho sobre os adversários na próxima etapa.

    O Brasil terminou em segundo do grupo E, atrás da Argentina e à frente da própria Turquia e da Eslovênia. Na semifinal, neste sábado (19.09), às 23h (hora de Brasília), o time brasileiro pega a Rússia. Antes, às 21h, os argentinos medem força com os chineses.

  • Vôlei Nestlé mede forças com o Sesi pelo Paulista 2015

    Fonte: ZDL

    Vitória nas quatro rodadas, mesma pontuação e liderança compartilhada. Vôlei Nestlé e Sesi-SP dividem a primeira colocação do Campeonato Paulista com 12 pontos. Mas essa invencibilidade vai acabar para um dos lados nesta sexta-feira (18) quando se enfrentam a partir das 19h30 no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo. Maior pontuadora do time de Osasco em todos os jogos disputados, Ivna já anotou 82 acertos em ataques, bloqueios, saques e contra-ataques e tem sido o destaque ofensivo. Foram 16 diante do Renata Valinhos/Country, 19 contra o Concilig/Vôlei Bauru, 27 no Uniara/AFAV e 20 no Pinheiros.

    Ciente de que será marcada pelo adversário, Ivna enfatiza a qualidade dos treinos e está confiante. “Estamos treinando contra bloqueios duplos e o Luizomar tem colocado os homens da comissão técnica para treinar conosco, provocando maior dificuldade para que estejamos preparadas para o jogo. O bloqueio do Sesi é muito bom, mas a qualidade dos nossos treinos pode nos ajudar. Nesta reta final teremos pela frente adversários mais ajustados, mas o grupo está forte e unido”, afirma a jogadora, que tem atuado como ponteira no início da temporada.

    Os embates entre os clubes começaram no Paulista de 2011 e de lá para cá foram disputados 24 jogos e a vantagem é da equipe de Osasco, com 16 vitórias contra oito do adversário. A decisão do estadual de 2013 e as últimas duas semifinais de Superliga fizeram crescer a rivalidade e fez surgir um novo clássico no vôlei brasileiro. “É bem gostoso atuar neste tipo de jogo. Será um grande espetáculo e o público que for ao ginásio vai gostar bastante. Os dois times possuem grandes jogadoras e vão querer manter a invencibilidade. Vai prevalecer quem errar menos e quem tiver com mais vontade de ganhar”, acrescenta Ivna.

    Se por um lado Ivna é o destaque no ataque, a líbero Dani Terra é uma das responsáveis por tentar neutralizar as ações do oponente. “O Sesi tem atacantes muito fortes e variadas opções de jogadas ofensivas. Precisamos estar concentradas no passe para combater o saque e cumprir o planejamento tático de bloqueio e defesa para conseguirmos minimizar os ataque delas”, analisa a defensora, substituta de Camila Brait que está na seleção brasileira.

     

  • Seleção Brasileira Masculina conhece o seu primeiro adversário no Sul-Americano

    Fonte: CBV

    O Campeonato Sul-Americano adulto masculino de vôlei terá início no dia 30 de setembro, em Maceió (AL), e o Brasil já conhece o seu primeiro adversário na busca pelo 30º título da competição. A equipe dirigida pelo técnico Bernardinho fará sua estreia contra o Peru, às 18h45, no ginásio Presidente Fernando Collor (Sesi), onde também estarão na disputa as seleções da Colômbia, Uruguai, Chile, Venezuela, Argentina e Guiana.

    Ainda na fase de classificação, a seleção brasileira enfrentará os chilenos, no segundo dia de disputa, e venezuelanos, na terceira partida. O Sul-Americano terá quatro jogos por dia, com exceção de domingo, quando acontecerão apenas a disputa de terceiro lugar e a final, quando será conhecido o grande campeão.

    Esta é a 31º edição do Campeonato Sul-Americano e o Brasil tem 29 títulos. A equipe verde e amarela não participou da competição em 1964, quando a Argentina foi a campeã. A mais recente edição do Campeonato Sul-Americano aconteceu em Cabo Frio (RJ), no ano de 2013.

    Para tentar mais uma conquista no Sul-Americano, o técnico Bernardinho convocou os levantadores Bruninho e Raphael; os opostos Evandro e Renan; os centrais Isac, Lucão, Otávio e Maurício Souza; os ponteiros Lipe, Lucarelli, Lucas Lóh, Maurício Borges e Kadu; e os líberos Serginho e Tiago Brendle.

    Capitão da seleção brasileira, o levantador Bruninho espera, mais uma vez, conseguir um bom resultado. “Vamos para mais um Sul-Americano com o objetivo, claro, de conquistar o título para o Brasil. Vamos estar em casa e contamos com o apoio da torcida nordestina, que sempre passa muito carinho para a seleção brasileira. É importante jogar em casa, em um ambiente próximo do que vamos encontrar nos Jogos Olímpicos do ano que vem”, disse Bruninho.

    Tabela

    Dia 30 de setembro

    13h15 – Colômbia x Uruguai
    16h – Chile x Venezuela
    18h45 – Brasil x Peru
    21h – Argentina x Guiana

    Dia 1º de outubro

    12h30 – Venezuela x Peru
    15h15 – Colômbia x Guiana
    18h – Chile x Brasil
    21h – Uruguai x Argentina

    Dia 2 de outubro

    12h45 – Peru x Chile
    15h30 – Guiana x Uruguai
    18h15 – Brasil x Venezuela
    21h – Argentina x Colômbia

    Dia 3 de outubro

    13h – 1º B x 2º A (semifinal)
    15h40 – 1º A x 2º B (semifinal)
    18h20 – 4º A x 4º B (disputa de 7º)
    21h – 3º A x 3º B (disputa de 5º)

    Dia 4 de outubro

    8h30 – Per J. 13 x Per J. 14 (disputa de 3º lugar)
    10h15 – Gan J. 13 x Gan J. 14