• Com o retorno de Sidão, Bernardinho convoca seleção

    Foto: Divulgação
    Foto: Divulgação

    Redação

    O técnico Bernardinho que esteve ao lado do assistente técnico, Rubinho, e do diretor de seleções da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), Renan Dal Zotto, anunciou nesta terça-feira, 12/04, a convocação da seleção masculina de voleibol, no Rio de Janeiro.

    Os primeiros jogadores convocados neste ano foram: os levantadores Bruninho, William e Raphael; os opostos Wallace Souza, Evandro e Wallace Martins; os centrais Lucão, Isac, Sidão, Éder e Maurício Souza; os ponteiros Murilo, Lucarelli, Lipe, Lucas Lóh, e Douglas; e os líberos Serginho e Tiago Brendle.

    Após o anúncio dos nomes, o treinador destacou a importância deste ano e o quanto este é um período especial para a vida de todos os envolvidos com a seleção brasileira.

    “Temos que ter um grupo bastante coeso e com objetivos claros. Somos uma equipe em missão. A partir do momento em que esses atletas cheguem a Saquarema, nada mais importa. Não há espaço para mais nada que não seja o foco e esperamos que todos em volta entendam isso. Acreditamos que pessoas são importantes, mas o grupo é mais. O grupo sempre foi a força do nosso trabalho”, afirmou Bernardinho.

    Do auge de sua experiência, o treinador explica que ano olímpico sempre é sofrido. “Estou há algum tempo nessa história dos Jogos, como jogador e treinador no feminino e masculino, e entendo a importância do ano dentro da carreira dos jogadores. Isso gera muita preocupação para os treinadores em função da frustração que provoca em algumas pessoas. Talvez seja uma das coisas mais difíceis na vida de um treinador. É um ano que envolve uma carga emocional enorme”, declarou Bernardinho.

    Para chegar a lista divulgada nesta terça-feira, o técnico da seleção brasileira masculina contou com um amplo trabalho liderado principalmente por Rubinho, que esteve em grande parte dos jogos da Superliga e também em partidas no exterior para acompanhar times que têm jogadores brasileiros em seus elencos.

    “Trabalhamos com números e observações. Isso é o que nos norteia. Além dos 18 nomes que anunciamos hoje, temos jogadores ainda em observação. Essa não é uma lista definitiva. Leandro Vissotto, Maurício Borges e Dante, que estão fora do país e ainda em atividades com seus clubes, ainda estão sendo observados. Sentindo que há necessidade de alguma mexida, nós vamos fazer”, garantiu Bernardinho.

    O diretor de seleções da CBV ainda falou sobre a programação que a seleção masculina terá daqui para frente. “O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) vem colaborando demais nessa preparação olímpico em todos os sentidos e queremos agradecer a esses grande parceiro. Nossa programação com os atletas inicia na semana que vem, com a primeira apresentação, e depois temos amistosos contra a Eslovênia e Argentina. Aí então temos a primeira etapa na Liga Mundial e, depois, um curto espaço de tempo de duas semanas e meia para o início dos Jogos Olímpicos. É uma preparação bastante intensa, importante e que vai ser tratada com muito carinho”, disse Renan Dal Zotto.

    Os primeiros amistosos da seleção masculina serão no dia 21 e 23 de maio, contra a Eslovênia, atual vice-campeã europeia, em Montes Claros (MG), e depois a equipe dirigida pelo técnico Bernardinho enfrentará a Argentina, na casa dos adversários, nos dias 2 e 4 de junho, ainda antes da estreia na Liga Mundial.

    CONVOCADOS:

    Levantadores
    Bruninho (Modela/Itália)
    William (Sada Cruzeiro)
    Raphael (Funvic/Taubaté)

    Opostos
    Wallace Souza (Sada Cruzeiro)
    Evandro (Suntory/Japão)
    Wallace Martins (Brasil Kirin)

    Centrais
    Lucão (Modela/Itália)
    Isac (Sada Cruzeiro)
    Sidão (Sesi-SP)
    Éder (Sada Cruzeiro)
    Maurício Souza (Brasil Kirin)

    Ponteiros
    Murilo (Sesi-SP)
    Lucarelli (Funvic/Taubaté)
    Lipe (Funvic/Taubaté)
    Lucas Lóh (Brasil Kirin)
    Douglas (Sesi-SP)

    Líberos
    Serginho (Sesi-SP)
    Tiago Brendle (Brasil Kirin)

  • Paranaense Fernando Bonatto será o técnico de Rio do Sul

    Foto: Divulgação Rio do Sul
    Foto: Divulgação Rio do Sul

    Fonte: Clóvis Eduardo Cuco – Assessoria de Comunicação – Vôlei Rio do Sul

    O paranaense Fernando Bonatto de 36 anos, é o novo técnico do time de vôlei feminino de Rio do Sul. Após a saída de Spencer Lee, a diretoria da Associação Rio do Sul Vôlei procurou alguns nomes disponíveis no mercado para cobrir a função na próxima temporada.

    Formado em Educação Física, Fernando já trabalhou com categorias de base e o time adulto de Cascavel (PR) desde 1999. Foi técnico da seleção paranaense de voleibol e no último ano trabalhou como assistente técnico do time de Bauru (SP) e tem passagem também como auxiliar da seleção brasileira sub-15. Recentemente, fez parte da campanha de Cascavel na Superliga B, ficando na terceira colocação.

    O treinador já acompanha a trajetória do time de Rio do Sul nas últimas Superligas e sabe da responsabilidade de assumir a equipe que representa o Sul do Brasil na competição nacional, além das disputas dos Jogos Abertos de Santa Catarina e do campeonato catarinense. “Surpreende a organização e a dedicação como o projeto de Rio do Sul é realizado. E isso me motiva muito. Estou muito feliz de fazer parte deste time”, comentou Bonatto que está em Rio do Sul para definir detalhes das contratações para a temporada com a diretoria.

    O coordenador da equipe, Nilo Borgonovo, confia em Fernando para manter a tradição do time de Rio do Sul na Superliga, com um time guerreiro e que não mede esforços para conquistar vitórias e bons resultados. “A montagem do time agora deve fluir mais facilmente e teremos novidades em breve”, comentou.

  • Bernardinho convoca seleção para ano olímpico nesta terça

    Foto: Divulgação
    Foto: Divulgação

     

    Redação

    O técnico Bernardinho anuncia nesta terça-feira (12) os convocados da seleção masculina para a temporada 2016. O time verde-amarelo tem como principais compromissos as disputas da Liga Mundial e dos Jogos Olímpicos do Rio.
     
    A exemplo do que aconteceu com Zé Roberto na última semana, Bernardinho reunirá a imprensa no Rio de Janeiro, a partir das 11 horas, para divulgar os nomes. Seu assistente-técnico, Rubinho, além do Diretor de Seleções da CBV, Renan Dal Zotto, também estarão presentes.
  • Vôlei de Praia: Brasil faz dobradinha e leva ouro e prata com as mulheres na Argentina

    Divulgação CBV
    Divulgação CBV

    Fonte: CBV

    Ouro e prata. Este foi o saldo brasileiro na 6ª etapa do Circuito Sul-Americano 2015/2016, encerrada neste domingo (10.04), na cidade de Vicente Lópes, na Argentina. Duda e Elize Maia (SE/ES) venceram Andressa e Victoria (PB/MS) em uma final verde e amarela na Argentina. O resultado deixa o Brasil ainda mais tranquilo na liderança do ranking geral. A próxima etapa ocorre de 15 a 17 de abril, em Assunção, no Paraguai.

    O dia começou com a disputa das semifinais, e como as duplas brasileiras não se cruzaram nesta fase, ao menos um lugar no pódio estava garantido. Mas elas fizeram bonito. De um lado, Duda e Elize Maia venceram as paraguaias Filippo/Michelle por 2 sets a 0 (21/19, 21/12). Na outra partida, triunfo de Andressa e Victoria sobre as donas da casa Benet e Zonta por 2 sets a 1 (24/22, 19/21, 15/11), garantindo ouro e prata ao país.

    Na decisão, vitória de Duda e Elize Maia sobre Andressa e Victoria por 2 sets a 0 (24/22, 21/16), garantindo o segundo ouro na Argentina (elas já haviam vencido em Morón nesta temporada). O resultado deixou o Brasil ainda mais tranquilo na liderança do ranking geral da temporada no feminino, com 1100 pontos. Argentina e Venezuela estão empatados com 800.

    No torneio masculino, com a queda de Guto/Saymon e Adrielson/Maia nas quartas de final, no último sábado (10.04) o Brasil soma 120 pontos e cai para o segundo lugar no ranking geral, com 960 pontos. A Argentina, que terminou com o bronze de Bianchi e Azaad em Vicente Lópes, lidera com 980 pontos. A Venezuela, campeã com Peter/Tigrito e vice com Fayola/Golindano na parada argentina é a terceira do ranking, com 900 pontos.

    O ranking é feito apenas para os países, contando apenas a pontuação da dupla mais bem colocada das nações em cada etapa. Os campeões de cada torneio somam 200 pontos, o vice, 180, o terceiro colocado, 160, e reduzindo 20 pontos em cada posição seguinte.

  • Claudinha e Natasha continuam no Dentil/Praia Clube

    Claudinha e Natasha comemoram ponto - Foto: Divulgação Praia Clube
    Claudinha e Natasha comemoram ponto – Foto: Divulgação Praia Clube

    Fonte: José Pedro Bezerra – Assessoria de Imprensa Praia Clube

    Após a excelente campanha na Superliga 2015/2016, o Dentil/Praia Clube tem o prazer de anunciar a renovação de contrato de duas atletas que fizeram história com o time preto-e-amarelo na última temporada. Os dois primeiros nomes são da levantadora Claudinha e da central Natasha, que continuam sob o comando de Ricardo Picinin.

    Claudinha vai, pela quarta vez, defender a equipe auri negra. A levantadora jogou no Praia nos anos 2008/2009, 2009/2010 e 2015/2016. A central Natasha chegou ao Dentil/Praia Clube na temporada 2014/2015 e continua no time desde então.

    Cláudia Bueno da Silva

    foto: clube
    foto: clube

    A levantadora foi a segunda atleta mais eficiente da competição no quesito levantamento, com 20,6% de aproveitamento. A praiana foi um dos destaques do time vice-campeão da Superliga e da Copa do Brasil, além de ter sido campeã mineira no começo da temporada. 

    Natural de São Caetano do Sul, a paulista, de 28 anos, já conquistou títulos expressivos ao longo da carreira. Vestindo o manto verde-e-amarelo, por exemplo, Claudinha faturou a medalha de ouro no Campeonato Sul-americano Juvenil de 2004, na Bolívia. Com a Seleção Brasileira de Novas, por sua vez, levou a medalha de prata na Copa Yeltsin em 2011, o bronze nesta competição em 2012, além do vice-campeonato na Copa Pan-americana no mesmo ano. Já pela Seleção Principal, conquistou o ouro nas seguintes competições: Montreux Volley Masters, Torneio de Alassio, Grand Prix e Copa dos Campeões no Japão, todas em 2013. 

    Nos anos de 2014 e 2015, Claudinha defendeu a Seleção Brasileira Militar e conquistou os títulos do Campeonato Mundial Militar e dos Jogos Mundiais Militares.

    Natasha Odara Azevedo Cruz Farinea

    foto: clube
    foto: clube

    Natural de Porto Murtinho (MS), a central de 30 anos tem passagens pelas Seleções Brasileiras de Novos e Principal. Enquanto jogava no Usiminas/Minas, a jogadora foi convocada para defender a Seleção Brasileira dos Jogos Mundiais Militares em 2011 e em 20150, tendo conquistado a medalha de ouro. Ainda com a Seleção Militar, Natasha foi campeã do Campeonato Mundial Militar de Voleibol Feminino.

    Ela também atuou pelos times paulistas do São Caetano (2004 a 2009) e Campinas (2012/2013). Antes de chegar ao Praia Clube, Natasha estava no Unilever, equipe pela qual foi campeã da Superliga em 2013/2014.

    A central foi a oitava jogadora da Superliga 2015/2016 que mais fez pontos de bloqueio na competição, com 64. Com o Dentil/Praia Clube, Natasha foi vice-campeã da Superliga e da Copa Brasil em 2016 e bicampeã mineira com o grupo, na temporada 2014/2015 e 2015/2016.

  • Sada Cruzeiro é tetracampeão da Superliga

    Foto: Divulgação Sada Cruzeiro
    Foto: Divulgação Sada Cruzeiro

     

    Redação

    Em 27 decisões a equipe do Sada Cruzeiro conquistou o seu 21º título da sua história. Neste domingo, 10/04, a equipe mineira conquistou seu quarto título de Superliga ao derrotar o Brasil Kirin por 3 sets a 1, parciais de 23/25 – 25/23 – 25/15 e 30/28, no ginásio Nilson Nelson em Brasília.

    O maior pontuador da partida e MVP da partida foi o cubano/brasileiro Leal da equipe do Sada Cruzeiro.

     

    O JOGO

    Como era esperado o início do jogo foi equilibrado, ponto a ponto entre as equipes até a primeira parada técnica onde o Cruzeiro levou a melhor em ataque de Éder fechando em 8/7. O set seguiu favorável ao time mineiro que fechou a segunda parada técnica em 16/14, num bloqueio do Wallace. Campinas recuperou-se e virou em 19/21, beneficiando-se de erros dos mineiros. Daí foi só administrar e fechar em 23/25, num ataque de Olteanu. O maior pontuador do set foi Leal do Cruzeiro com 06 pontos.

    O segundo set começou igual ao primeiro. Muito equilíbrio entre as duas equipes. Os mineiros chegaram na primeira parada técnica com 8/7. A segunda parada também foi favorável ao Cruzeiro, num erro de ataque do Brasil Kirin fechou em 16/15. E num ace do Éder o Sada Cruzeiro devolveu o placar do primeiro set, 25/23. O maior pontuador do segundo set foi Olteanu do Brasil Kirin com 05 pontos.

    O terceiro set começou com o Cruzeiro bem melhor. A recepção do Brasil Kirin caiu bastante e o emocional da equipe foi afetado. Os mineiros aproveitaram e fecharam a primeira parada técnica em 8/5. Com tanta instabilidade os mineiros abriram, 14/8. Num erro de saque de Lucas Lóh, o Cruzeiro fechou a segunda parada técnica em vantagem, 16/11. O passeio mineiro rolou até o fechamento do set, 25/15 num bloqueio de Isac. O maior pontuador do set foi Wallace do Cruzeiro com 06 pontos.

    O Brasil Kirin voltou para o quarto set com o emocional recuperado e chegou na primeira parada técnica equilibrando as ações, 7/8 para os mineiros. E assim foi até a segunda parada, numa bola de cheque do central Mauricio, o Brasil Kirin fechou em 15/16. O equilíbrio se manteve até o final do set, onde o Sada Cruzeiro de forma brilhante fechou o set em 30/28, conquistando seu quarto título de Superliga.

     

    Sada Cruzeiro – William, Wallace, Filipe e Leal, Éder e Isac e o líbero Serginho. Entraram: Alan, Fernando Cachopa. Técnico: Marcelo Mendez.

    Vôlei Brasil Kirin – Gonzalez, Wallace, Olteanu, Lucas Lóh, Luizinho e Maurício Souza e líbero Thiago Brendle. Entraram:  Piá, Michael, Igor Ceará, Jotinha, Vini, Técnico: Alexandre Stanzioni

  • Funvic/Taubaté confirma renovação de quatro atletas

    Foto: Divulgação Funvic/Taubaté
    Foto: Divulgação Funvic/Taubaté

    Fonte: Tuddo Comunicação

    A temporada 2015/2016 da Funvic/Taubaté chegou ao fim e a equipe já começa a se planejar para o próximo ano. Visando manter o nível do time para brigar mais uma vez por títulos, quatro atletas foram confirmados nesta sexta-feira (08 de abril).

    De acordo com o Supervisor Técnico da Funvic/Taubaté, Ricardo Navajas, o ponteiro Lucarelli, o levantador Rapha, e os centrais Otávio e Isbel já estão confirmados para temporada 2016/2017.

    “Além desses atletas o técnico Cezar Douglas continua no comando da equipe e vamos dar continuidade no trabalho que vem sendo feito. Fizemos uma temporada razoável, isso se deve as baixas que tivemos durante a competição. Anunciamos uma equipe e parte desses atletas não ficaram para a temporada. Agora vamos trabalhar para fazer uma temporada melhor”, falou Navajas.

    A Funvic/Taubaté conquistou nesse último ano os títulos dos Jogos Regionais e do Campeonato Paulista. Na Superliga o time taubateano ficou com a terceira colocação.

  • Sada Cruzeiro e Brasil Kirin decidem o título neste domingo

    Sada Cruzeiro comemora ponto Alexandre Arruda/CBV
    Sada Cruzeiro comemora ponto Alexandre Arruda/CBV

    Fonte: CBV

    Primeiro e terceiro colocados na fase classificatória da Superliga masculina de vôlei 2015/2016, Sada Cruzeiro (MG) e Vôlei Brasil Kirin (SP) se enfrentam na busca pelo título da competição neste domingo (10.04), às 9h45, com transmissão ao vivo da Globo e do SporTV. A partida será realizada no ginásio Nilson Nelson, em Brasília, o mesmo onde o Rexona-AdeS (RJ) conquistou o 11º título no domingo passado (03.04).

    A equipe mineira busca seu quarto título, enquanto o time paulista chega pela primeira vez a disputa da final. Nesta decisão, há um tom argentino. Dois de cada lado apresentam experiências vividas no país vizinho. Levantador do Sada Cruzeiro e oposto do Brasil Kirin, William e Wallace Martins viveram, juntos, quatros anos vencedores na Argentina. Já o técnico Marcelo Mendez e o levantador Gonzalez são nascidos por lá e brilham no Brasil.

    Neste clima, William e Wallace se reencontram com grandes recordações. “Jogamos quatro anos juntos, éramos vizinhos e, além de um grande jogador, o William é uma pessoa de grande caráter. Vivemos quatro anos maravilhosos juntos e temos um carinho muito grande um pelo outro”, disse o capitão do Brasil Kirin, Wallace Martins, que elogiou o adversário da final.

    “O favoritismo deles é total, mas, se trata de uma final em jogo único e, assim, qualquer coisa de errado que aconteça pode comprometer. Nós acreditamos muito nesse título. Ao longo do returno e dos playoffs nosso time cresceu bastante, depois passamos por uma semifinal muito dura e isso aumentou a nossa expectativa”, afirmou o oposto do Brasil Kirin, lembrando o playoff contra o Funvic/Taubaté, quando o Brasil Kirin venceu por 2 jogos a 1.

    O levantador do Sada Cruzeiro retribui os elogios. “Tenho boas lembranças da Argentina e do tempo em que joguei lá com o Wallace. Foi um período muito legal que vivemos. Já são quase 10 anos que fui para lá, onde conquistei vários títulos, sendo quatro campeonatos argentinos, e eu e o Wallace fizemos uma parceria muito boa. Morávamos perto, íamos para os treinos juntos e foi realmente uma fase ótima”, disse William.

    O jogador do time mineiro ainda destacou qualidades do adversário. “Eles têm um excelente levantador, que também ganhou muita coisa na Argentina, e é um cara que lê o jogo muito bem. Teve uma adaptação rápida aqui no Brasil e não só ele, como todo o time do Brasil Kirin, nos preocupam. Eles têm várias qualidades, mas nós temos que imprimir nosso ritmo de jogo e buscar esse título”, afirmou William.

    Argentinos de verdade

    Além dos brasileiros com experiência na Argentina, a Superliga conta com dois craques nascidos por lá, um dentro e outro fora de quadra. O levantador do Brasil Kirin, Gonzalez, chegou nesta temporada e já ajudou a equipe campineira a chegar a final. O técnico do Sada Cruzeiro, Marcelo Mendez, está há sete anos no Brasil e já foi campeão três vezes.

    “Nesta final, temos alguns jogadores que passaram pela Argentina, já que, além de William e Wallace Martins, o Olteanu também jogou lá, e acho que eles conquistaram um crescimento como atleta e profissional. Pegaram muita coisa do voleibol argentino e estão transmitindo aqui no vôlei brasileiro”, comentou Mendez.

    O levantador do Brasil Kirin, Gonzalez, afirma que seu time está pronto para ganhar. “Todos sabem que do nível do Sada Cruzeiro. Eles são os melhores do mundo, mas nós não queremos ser os melhores, nós só queremos ganhar no domingo. A final da Superliga é uma festa muito linda, nós temos um time novo, que nunca participou disso tudo, mas viemos aqui para tentar ganhar deles, claro. Sabemos que temos que jogar o nosso máximo, mas é possível”, afirmou Gonzalez.

    Wallace, o maior pontuador da Superliga

    A final da Superliga 15/16 conta com um grande destaque. O oposto do Sada Cruzeiro, Wallace, entra em quadra neste domingo como maior pontuador da competição. O jogador tem 3.198 pontos de ataque, 359 de bloqueio e 201 de saque, somando 3.758 pontos já feitos desde que começou a disputar a Superliga, aos 19 anos, há 10 temporadas.

    Os 3.758 pontos foram conquistados ao longo de 284 jogos, sendo cinco deles válidos por finais da principal competição do vôlei brasileiro. Com três títulos de Superliga no currículo, Wallace chega para a decisão motivado. “Nosso time sempre entra em quadra para vencer e dessa vez não vai ser diferente. Queremos muito esse título”, disse o oposto.

    Retrospecto desta final

    Para chegar a decisão, o Sada Cruzeiro encerrou a fase classificatória da Superliga na primeira colocação da tabela, com 55 pontos. Nas quartas de final, eliminou o São José Vôlei (SP), que classificou em oitavo, com 2 jogos a 0, e, na semifinal, passou pelo Sesi-SP pelo mesmo placar.

    O Brasil Kirin ficou na terceira posição na fase de classificação, com 44 pontos. Na fase seguinte, enfrentou o Bento Vôlei/Isabela (RS) e seguiu adiante para a semifinal, quando eliminou o Funvic/Taubaté, que havia classificado em segundo lugar.

    No histórico de confrontos, desde a temporada 10/11, quando começou o projeto em Campinas (SP), são oito vitórias do Sada Cruzeiro e quatro do Brasil Kirin.

  • Diretoria do time de Rio do Sul quer anunciar novo treinador nos próximos dias

    Foto: Divulgação Rio do Sul
    Foto: Divulgação Rio do Sul

    Fonte: Clóvis Eduardo Cuco – Assessoria de Comunicação – Rio do Sul/Equibrasil

    Depois de dois anos como treinador do time Rio do Sul/Equibrasil, Spencer Lee anunciou nesta terça-feira (5) que deixará o clube. O mineiro conversou com a diretoria da equipe e que recebeu uma proposta para fazer parte do time de Osasco (SP), como membro da comissão técnica.

    O coordenador da equipe de Rio do Sul, Nilo Borgonovo, salientou que a intenção era que Spencer permanecesse em Santa Catarina. Mas ele recebeu uma boa oportunidade e isso é bastante compreensível até mesmo pelo patamar que colocou Rio do Sul no cenário nacional nesta última temporada. Borgonovo avisou que assim que soube da decisão, a diretoria já iniciou contatos com possíveis treinadores.

    “Pretendemos anunciar um novo técnico ainda nos próximos dias, talvez nesta ou no início da próxima semana. A contratação de atletas para formar o time depende deste novo treinador e o mercado está bastante movimentado. Por isso precisamos ser rápidos”, comentou.

    Spencer Lee ajudou o time de Rio do Sul a se tornar uma das sensações da última Superliga, com uma campanha praticamente impecável em casa e o sexto lugar conquistado durante a fase de classificação.

    “Deixo o time com a certeza de que retribuí todo o carinho e a confiança depositada em mim nos últimos dois anos. Foi um período incrível e que pudemos construir uma trajetória muito vitoriosa e que deu a Rio do Sul ainda mais projeção no cenário nacional. Quero agradecer todo o apoio de nossa diretoria, da comissão técnica, jogadoras, patrocinadores, amigos e dos torcedores. Pois todos estes elementos fizeram de Rio do Sul um time querido e visto por todo o Brasil como muito competitivo e especial”, comentou Spencer.

  • Vôlei de Praia: André/Oscar e Álvaro/Vitor Felipe começam com vitórias na etapa de Doha

    Divulgação CBV
    Divulgação CBV

    Fonte: CBV

    O Brasil largou com duas vitórias e duas derrotas na etapa de Doha (Qatar) do Circuito Mundial 2016. André/Oscar (ES/RJ) e Álvaro Filho/Vitor Felipe (PB) começaram tropeçando, mas se recuperaram nesta terça-feira (05.04) e seguem com ótimas chances de classificação. A fase de grupos continua nesta quarta-feira (06.04), quando também ocorre a repescagem. O torneio no país asiático é disputado apenas no naipe masculino.

    André e Oscar, que partiram do qualificatório, na última segunda, entraram em quadra na estreia contra os poloneses Fijalek/Prudel e acabaram superados por 2 sets a 1 (21/18, 15/21, 15/17), em 54 minutos. Horas depois veio a recuperação, ao vencerem os franceses Krou/Rowlandson por 2 sets a 0 (21/18, 21/17), em 35 minutos. Os brasileiros encerram a fase de grupos contra os venezuelanos Villafãne e Henriquez, nesta quarta.

    Alvinho e Vitor Felipe tiveram o mesmo desempenho. Estrearam em um jogo difícil, decidido apenas no tie-break, onde acabaram superados pelos norte-americanos Hyden e Bourne com parciais de 21/14, 20/22 e 15/10, em 50 minutos. Na sequência superaram os austríacos Huber/Seidl por 2 sets a 0 (21/16 e 21/19), em 39 minutos de duração. A última partida pela chave será contra os austríacos Winter/Petutschnig.

    Doha é a quinta etapa realizada em 2016 e a oitava da temporada 2015/2016. Após a disputa no país, o Circuito Mundial segue para a China, onde ocorrem duas etapas em sequência – Xiamen e Fuzhou.

    O ranking da temporada é atualmente liderado pelas italianas Menegatti/Orsi Toth, com 1.870 pontos, enquanto os poloneses Losiak e Kantor lideram no masculino, com 2.520 pontos.