• Vôlei Nestlé disputa final da Superliga, após reformulação do elenco e comissão técnica

    O time de Osasco mudou mais de 70% de seu elenco
    (João Pires/Fotojump)

    Fonte: ZDL – Rafael Zito

    O técnico Luizomar passou nesta temporada por uma experiência diferente em relação às anteriores. A equipe de Osasco sofreu com uma reformulação de mais de 70% de seu elenco, sendo apenas quatro atletas remanescentes do calendário de 2015/16. Camila Brait, Dani Lins, Gabi e Saraelen permaneceram e a elas se juntaram mais 11 atletas. Chegaram as sérvias Tijana Malesevic e Ana Bjelica, as experientes Tandara, Carol Albuquerque, Nati Martins e Clarisse e também jovens promessas como Paula Borgo, Bia, Gabriela Zeni, Bruna Neri, Fê Campos. Mesmo com tantas mudanças o clube manteve sua tradição e alcança sua 14ª final nos últimos 16 anos, sendo a 6ª em 8 com a Nestlé.

    Além do grupo de atletas, Luizomar fez modificações em sua comissão técnica, mantendo apenas o assistente Jeferson Arosti e adicionando o auxiliar Spencer Lee, o preparador físico Marcelo Vitorino, o estatístico Leonard Barbosa e o fisioterapeuta Thiago Menezes. “Tivemos que nos adequar a realidade do nosso patrocinador. E dentro disso havia a estratégia de colocar o time de vôlei como parceiro da plataforma mundial Nutrindo os Sonhos dos Jovens. A comissão técnica está de parabéns pela forma que fez a montagem do elenco. Durante o ano tínhamos a ideia de que seria um projeto em construção, então tudo foi planejado sabendo que a equipe passaria por dificuldades, mas que era um grupo com muita vontade de trabalhar”, afirma o treinador.

    O técnico enaltece o comprometimento de suas atletas. “O elenco sabia das suas limitações, mas tinha a consciência de que se trabalhasse muito conseguiria minimizar isso. Tive o apoio das jogadoras mais experientes e as mais jovens sempre estiveram abertas para receberem informações visando o crescimento. Elas entenderam a responsabilidade de vestir a camisa de um clube bastante tradicional e acostumado a disputar decisões. Estar em uma final de Superliga é uma enorme satisfação por tudo que o grupo precisou superar durante a temporada. Sabemos do potencial do adversário, mas estamos muito fortes e motivados para fazer uma grande partida no Rio de Janeiro”, completa o comandante.

    Duas bicampeãs da Superliga – O Vôlei Nestlé conta em seu elenco atual com duas jogadoras bicampeãs em Osasco. Carol Albuquerque conquistou a Superliga nas edições de 2004/05 e 2009/10 e Camila Brait em 2009/10 e 2011/12. “Jogo em um clube com muita tradição e que tem uma torcida apaixonada. É um time que me recebeu de braços abertos desde quando cheguei e que sempre me deu força, principalmente nos momentos mais difíceis. Amo jogar em Osasco e conto com o apoio do Luizomar desde o início da minha trajetória. Quero destacar a Nestlé também, um parceiro que abraçou a causa depois que a outra empresa saiu. É um patrocinador que faz de tudo por nós e que usa o marketing para nos incentivar. A Nestlé entrou com tudo no vôlei e espero que permaneça por bastante tempo. Estamos felizes de voltar a disputar uma final e vamos brigar com todas as forças para poder ganhar essa Superliga”, garante Camila Brait.

    Carol Albuquerque está em sua quarta passagem e aponta os diferenciais de Osasco. “Essa temporada está sendo especial para a gente. Osasco é um dos clubes mais tradicionais do vôlei brasileiro e mundial. É um time que está no vôlei há mais de 20 anos e com muitas conquistas. Posso dizer que todas as jogadoras desejam estar aqui, pois é uma equipe grande, com uma estrutura incrível e que paga em dia. Todo mundo quer estar aqui e quem está aqui não quer sair. Sabemos da tradição de finais e do peso que é vestir essa camisa, mas esse ano foi diferente porque não entramos como favoritos. A nossa torcida faz a diferença e não é por acaso que terminamos invictas em casa nessa Superliga. Eles apoiam o tempo inteiro e a gente cresce junto com eles”, ressalta a levantadora.

    14 finais nas últimas 16 temporadas
    2001/02: MRV/Minas x BCN/Osasco – vice-campeão
    2002/03: MRV/Minas x BCN/Osasco – campeão
    2003/04: MRV/Minas x Finasa/Osasco – campeão
    2004/05: Rexona-Ades (Rio de Janeiro) x Finasa/Osasco – campeão
    2005/06: Rexona-Ades (Rio de Janeiro) x Finasa/Osasco – vice-campeão
    2006/07: Rexona-Ades (Rio de Janeiro) x Finasa/Osasco – vice-campeão
    2007/08: Rexona-Ades (Rio de Janeiro) x Finasa/Osasco – vice-campeão
    2008/09: Rexona-Ades (Rio de Janeiro) x Finasa/Osasco – vice-campeão
    2009/10: Unilever (Rio de Janeiro) x Sollys/Nestlé (Osasco) – campeão
    2010/11: Unilever (Rio de Janeiro) x Sollys/Nestlé (Osasco) – vice-campeão
    2011/12: Unilever (Rio de Janeiro) x Sollys/Nestlé (Osasco) – campeão
    2012/13: Unilever (Rio de Janeiro) x Sollys/Nestlé (Osasco) – vice-campeão
    2013/14: Unilever (Rio de Janeiro) x Sesi-SP
    2014/15: Rexona-Ades (Rio de Janeiro) x Molico/Nestlé (Osasco) – vice-campeão
    2015/16: Rexona-Ades (Rio de Janeiro) x Dentil/Praia Clube
    2016/17: Rexona-Sesc (Rio de Janeiro) x Vôlei Nestlé (Osasco)

Autor:


Deixar um comentário

Deixe um comentário .

Algumas tags HTML são permitidas, são elas:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

Total