• Vôlei de Praia: Evandro e André Stein conquistam o ouro em Itapema

    Créditos: Divulgação FIVB

    Redação

    O Brasil fez a dobradinha no lugar mais alto do pódio da etapa de Itapema (SC), válida pelo Circuito Mundial de vôlei de praia 2018. Evandro e André Stein superaram os noruegueses Anders Mol e Christian Sorum por 2 sets a 0 (21/18, 21/16) na manhã deste domingo (20.05), conquistando o título da parada brasileira. Mais cedo, Ágatha e Duda também haviam levado a medalha de ouro ao superar as suíças Heidrich e Verge-Depre.

    O bronze da parada de Itapema no naipe masculino ficou com os poloneses Losiak e Kantor, que superaram os brasileiros Vitor Felipe e Guto (PR/RJ) por 2 sets a 0 (21/18, 21/16), em 36 minutos, mais cedo neste domingo.  O Brasil soma agora nove medalhas no Circuito Mundial, sendo quatro de ouro, quatro de prata e um bronze.

    Esta foi a segunda medalha de ouro da parceria Evandro/André em eventos internacionais. A primeira havia sido no Campeonato Mundial de 2017, na Áustria. Individualmente, Evandro tem seis títulos, enquanto André Stein possui três ouros. A vitória na final rede 800 pontos no ranking geral do tour e um prêmio de cerca de R$ 75 mil aos campeões.

    Com a palavra:

    Evandro:   “É um título invicto, de uma etapa do Circuito Mundial em casa e levamos o nosso primeiro ouro da temporada internacional. São muitos motivos para comemorar. Agradecemos muito à comissão técnica e agora temos que descansar e nos preparar para a continuidade dos eventos, pois teremos um período longo em sequência. Estamos trabalhando muito para evoluir nossos pontos fracos, especialmente nosso sistema defensivo. Acreditamos no nosso potencial e felizmente os resultados estão surgindo”, disse Evandro.

    Losiak:   “No final, conseguir uma medalha é sempre bom, mas é claro que queríamos algo mais, mas jogamos mal nas semifinais e também contra os campeões mundiais. É uma medalha importante para nós porque mostra que estamos progredindo”, concluiu Losiak. 

    O próximo desafio das duplas brasileiras no Circuito Mundial 2018 é a etapa duas estrelas de Jinjang, na China. As competições do tour são classificadas de uma a cinco com base nos pontos e na premiação que distribuem.

    O Brasil recebeu em sua história, até a parada de Itapema, 42 etapas no naipe masculino e 37 etapas no naipe feminino (a maioria realizadas simultaneamente) do Circuito Mundial de vôlei de praia. Esta é a primeira vez que uma cidade da região Sul do país recebe uma etapa do giro internacional.

  • Paulista Sub 21 feminino: Araraquara vence na estreia da APV

    Créditos: Jonas Bezerra

    Redação

    Neste sábado (19/05), a equipe Sub 21 do Vôlei+/Araraquara estreou com vitória na temporada 2018 da APV (Associação Pró-Voleibol), na categoria Adulta. O confronto aconteceu no Ginásio de Esportes “Valter Pedro Guidolim”, em Rio das Pedras, diante da equipe da casa. Mais jovem, as meninas do técnico Eduardo Zambone venceram por 3 sets a 0, parciais de 25/8, 25/14 e 25/14.

  • Vôlei de Praia: Ágatha/Duda repete ouro em etapa brasileira, desta vez em Itapema, pelo Mundial

    Créditos: Divulgação FIVB

    Redação

    A dupla brasileira, Ágatha e Duda (PR/SE), venceu na manhã deste domingo (20.05) as suíças Heidrich e Verge-Depre por 2 sets a 0 (21/19 e 21/17), em 36 minutos, garantindo o ouro da etapa de Itapema (SC). Na temporada passada, a primeira da parceria, o título também veio, mas os jogos aconteceram no Rio de Janeiro (RJ).

    Completando o pódio a medalha de bronze da etapa ficou com as canadenses Heather Bansley e Brandie Wilkerson, que superaram Maria Elisa e Carol Solberg (RJ) por 2 sets 1 (21/18, 18/21, 15/11), em 52 minutos.

    Este é o segundo ouro em etapas do Circuito Mundial para Ágatha e Duda. Individualmente, Ágatha soma seis medalhas de ouro, enquanto Duda, de 19 anos, tem quatro.

    Com a palavra:

    Ágatha:   “No dia a dia é uma b atalha intensa, um trabalho muito duro em busca da evolução, tanto do corpo, como da mente. Então queremos dividir isso com essas pessoas. E também com nossa equipe incrível, são muitas pessoas especiais, parte disso. Somos apenas a consequência do trabalho de todos”, disse Ágatha, que ao lado de Duda soma 800 pontos pela conquista do ouro e recebe um prêmio de cerca de R$ 59 mil.

    Vergé-Depré:   “Não foi o nosso melhor desempenho na final e elas fizeram um trabalho muito bom, mas estamos felizes com este resultado. Há duas semanas não estávamos felizes com nossas apresentações, mas conseguimos chegar até aqui em Itapema, onde adoramos jogar”, concluiu a atleta da Suíça. 

    Somando os naipes masculino e feminino, agora o Brasil soma oito medalhas no Circuito Mundial 2018, sendo três de ouro, quatro de prata e uma de bronze.

    O JOGO

    As brasileiras começaram com ritmo forte, abrindo três pontos de vantagem na primeira metade do set: 10 a 7. As suíças lutaram e conseguiram a virada em contra-ataque de Heidrich: 13 a 12. Ágatha e Duda não se abateram e empataram em 16 a 16, e pouco depois viraram em bloqueio de Ágatha: 18 a 17. Mantendo a virada de bola e contando com bons saques de Duda, a parceria verde e amarela fechou o set por 21 a 19 em ataque da sergipana.

    O segundo set começou mais equilibrado, mas as brasileiras conseguiram abrir dois de vantagem na metade do set: 12 a 10. A dupla suíça conseguiu contra-ataques e empatou, mas logo na sequência Duda voltou a brilhar e a liderança foi retomada: 17 a 14 para o Brasil. Mantendo a virada e contando com apoio da torcida, as brasileiras fecharam o segundo set e o jogo em 21 a 17, em ataque no corredor de Ágatha.

  • Americano Taylor Sander é o novo ponteiro do Sada Cruzeiro para 2018/19

    Créditos: Sean M. Haffey/Getty Images

    Redação

    O hexacampeão da Superliga anuncia o nome do ponteiro que integrará o elenco do Sada Cruzeiro em 2018/19: Taylor Sander. Medalha de bronze com a seleção dos Estados Unidos nos Jogos Olímpicos do Rio em 2016, o americano nascido em Fountain Valley, Califórnia, tem 26 anos de idade e defendeu o Lube Civitanova, vice-campeão da Champions League, do Campeonato Italiano e do Mundial de Clubes nesta temporada.

    Um dos grandes nomes do mundo em sua posição, Sander é titular da seleção norte-americana, com a qual conquistou a Copa do Mundo do Japão em 2015 e a Liga Mundial de 2014, quando foi escolhido como MVP e melhor atacante da fase final da competição, além da Copa Pan-Americana de 2012, também como MVP do torneio. Com 1,96m de altura, o ponteiro conhecido pela sua impulsão no ataque e qualidade no passe já passou pelo chinês Beijing Volley e pelo italiano Verona depois de competir pelo volebol universitário dos EUA.

    “O Sander é um grande jogador, com experiência em diversos clubes, passou pela Itália, foi para a China e retornou ao voleibol italiano, onde fez um excelente torneio na última temporada e jogou agora a final da Champions também. Na Itália há um limite de estrangeiros que podem estar em quadra e ele não jogou algumas partidas na reta final por opção do treinador, que precisou contar com um central estrangeiro ante a um ponteiro. É um grande atleta, participa da seleção americana, fez toda a categoria de base na seleção também, e se mostrou sempre como um jogador completo, tanto na recepção, quanto no ataque, bloqueio e saque. Ele dá muito equilíbrio ao time e ataca todos os tipos de bolas. Eu estou muito feliz com a sua contratação e espero que tenha muito sucesso aqui”, contou o comandante Marcelo Mendez sobre o novo reforço.

    Taylor Sander foi um dos destaques do Lube Civitanova, na disputa da fase final da Champions League. Em uma final muito equilibrada, o título ficou com o russo Zenit Kazan, que venceu por 3 a 2. E com a recepção mais eficiente durante a final e a medalha de prata no peito, o ponteiro se despediu da equipe italiana para defender a camisa estrelada da Raposa em 2018/19.

    “Eu estou muito animado com a chance de jogar pelo Sada Cruzeiro! Poder vestir a camisa de um dos melhores clubes do mundo é uma grande honra para mim. Mal posso esperar pela chegada, para fazer novos amigos e para viver em um país tão lindo como é o Brasil”, contou o mais novo cruzeirense, que assinou um contrato de dois anos com o clube.

  • Minas Tênis Clube oficializa a contratação da ponteira Gabi Guimarães

    Créditos: Orlando Bento/Minas Tênis

    Redação

    A ponteira Gabi Guimarães, que completou 24 anos neste sábado (19/5), vai defender o Minas Tênis Clube na temporada 2018/19. Gabi é mineira de Belo Horizonte, iniciou a carreira aos 14 anos e, em 2012, foi para o Rio de Janeiro, onde permaneceu até a temporada passada. A nova jogadora do Minas já realizou exames médicos no Clube e está com a seleção brasileira na disputa da Liga das Nações. A apresentação oficial da atleta será confirmada após os compromissos com a seleção do Brasil.

    Na equipe carioca, Gabi conquistou cinco títulos da Superliga, quatro do Sul-americano e foi duas vezes vice-campeã mundial de clubes. Com a camisa da seleção brasileira, Gabi tem um histórico de conquistas impressionante. É tricampeã do Grand Prix (2013, 2014 e 2016), bicampeã sul-americana (2013 e 2015), bronze no Mundial de Seleções (2014) e no Grand Prix (2015) e, ainda, prata na Copa dos Campeões (2017).

    Gabi é o sexto reforço do Minas para as disputas da Superliga, prevista para começar em outubro; do Campeonato Mundial de Clubes, em dezembro, na China; do Campeonato Sul-americano e da Copa Brasil, ambos previstos para 2019.

    Além de Gabi, estão com a seleção Natália, Mara e Macrís. 

  • Murilo renova com Sesi-SP e faz sua 10ª temporada na equipe

    Divulgação Sesi-SP

    Fonte:  Amanda Demétrio – Assessoria de Imprensa SESI-SP / FIESP

    Pilar do projeto de vôlei masculino do Sesi-SP, vestindo a camisa 8 desde a sua criação em 2009, Murilo Endres teve seu contrato renovado e chega à sua 10ª temporada no time. Antes jogando como ponteiro, o jogador de 37 anos segue para o segundo ano como líbero. Outro nome que segue na Vila Leopoldina é o de Douglas Pureza, parceiro de posição de Murilo.

    “Parece que foi ontem que cheguei ao Sesi-SP e já vou para minha décima temporada. Estou muito feliz de fazer parte de um projeto maravilhoso como o do Sesi-SP, aqui já é a minha casa e é aqui que quero jogar”, comentou Murilo.

    Com inúmeras medalhas, tanto pela Seleção Brasileira quanto pelo Sesi-SP, além dos prêmios individuais, Murilo, considerado um dos ícones do voleibol brasileiro, também é visto como um grande ídolo pelos torcedores e alunos do Sesi-SP. Na entidade desde 2009, Murilo participou da conquista da Superliga 2010/2011, do Sul-Americano de Clubes (Campões 2011) e do tetracampeonato paulista (2009, 2011, 2012 e 2013), além do hexacampeonato da Copa São Paulo e da 4ª colocação no Mundial de Clubes de Voleibol Masculino, disputado em Doha, no Catar.

    Outro destaque na posição, o líbero Douglas Pureza segue sob o comando do técnico Rubinho na temporada 2018/19. Respondendo à altura quando acionado, o jovem atleta, no Sesi-SP desde as categorias de base, já conta com títulos estaduais no currículo, além do troféu VivaVôlei, premiação entregue ao melhor de cada partida válida pela Superliga.

    Além da renovação dos líberos Murilo e Douglas Pureza, o Sesi-SP já confirmou a renovação dos opostos Alan e Franco e dos levantadores William e Evandro, além do técnico Rubinho.

  • CBS Sub 19 masculino: Seleção Paranaense intensifica treinamentos

    Seleção Paranaense Sub-19 masculina
    (Josi Schmidt/FPV)

    Fonte: Josi Schmidt/FPV

    A Seleção Paranaense Sub-19 se prepara para buscar a terceira medalha de ouro da história no Campeonato Brasileiro de Seleções (CBS). A competição este ano será realizada entre os dias 21 e 26 de maio na cidade de São Sebastião do Paraíso (MG).

    Organizado pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), a disputa este ano contará com a participação de sete Estados, após a desistência do Rio Grande do Sul. Na chave A estão: Rio de Janeiro, Paraná e Distrito Federal. Já na chave B se enfrentam as seleções de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso e Paraíba.

    Sob o comando do técnico Volmir Begnini (PM Medianeira) e assistente André Van de Sand (PM Toledo/Avotol, a seleção fará a estreia na próxima quinta-feira (24.05), às 15h, contra o Distrito Federal. Até lá os atletas e comissão técnicas farão uma série de treinos e amistosos que começaram nesta sexta-feira (18.05), na capital paranaense. Confira a escalação completa:

    Levantadores
    Guilherme Vargas Marques – Círculo Militar do Paraná
    João Maurício Silva Neto – Suzano-SP
    Líbero
    Renan Carraro Rosa – Adeps/Londrina
    Ponteiros
    Fernando Mathias da Silva – Círculo Militar do Paraná
    Bruno Tenfen Costa – Suzano-SP
    Vinícius Ferlin Chan – Suzano-SP
    Alan Barra Maciel – Sesi-SP
    Centrais
    Gabriel Santos do Carmo – Adeps/Londrina
    André Luiz Parizotto – PM Medianeira
    Luiz Eduardo Batista – Adeps/Londrina
    Opostos
    André Ricardo Santos Silva – Maringá/Unifamma/Amavolei
    Diego Augusto Piccoli – PM Medianeira

    O experiente técnico Volmir Begnini, que integrou a comissão técnica paranaense por mais de cinco vezes, tem no currículo um vice-campeonato e um título brasileiro e está confiante no grupo convocado para vestir a camisa do Paraná este ano.

    “Serão quatro dias de treinamentos, em dois períodos, incluindo também dois amistosos contra equipes adultas que estão disputando o Campeonato Regional. O grupo está pronto, mas agora, nesse período, faremos observações mais táticas para ajustar a formação ideal. A equipe tem muita qualidade, com atletas experientes, tenho certeza que vai brigar pelo pódio”, declarou o técnico.

    A seleção embarca na terça-feira (22.05).

  • Jotinha, Fábio Paes e João Paulo são confirmados no elenco do Vôlei Ribeirão

    Créditos: Renan Bin/FollowX Comunicação

    Fonte: FollowX Comunicação

    Depois de anunciar a renovação de contrato com o técnico Marcos Pacheco, o São Francisco Saúde/Vôlei Ribeirão voltou suas atenções para a montagem do elenco que representará a equipe na temporada 2018/19. O levantador Jotinha, o líbero Fábio Paes e o ponteiro João Paulo farão parte do grupo que disputará o próximo Campeonato Paulista e a Superliga A. Eles participaram da campanha do título da Superliga B.

    Jotinha, de 36 anos, foi o capitão do Vôlei Ribeirão na temporada passada e levantou os troféus de campeão da Taça Prata e da Superliga B. “Foi uma temporada incrível. Participei desde o início da formação da equipe e fomos evoluindo com os treinamentos e competições. Fiquei muito feliz com a proposta e quero continuar contribuindo com a evolução do time. Sabemos que a pegada é outra, mas vamos trabalhar muito. Não faltará empenho”, disse.

    João Paulo voltou a jogar após dois anos parado, por opção pessoal. O ex-jogador da Seleção Brasileira, campeão mundial, se tornou referência dentro de quadra e ídolo entre os torcedores. “Realmente foi um ano de superação. Fui recuperando a forma física e técnica aos poucos, pois ter ficado esse período fora das quadras me deixou fora de forma para jogar em alto rendimento. Mas a força do grupo e ver que todos acreditavam em meu trabalho me motivaram. Coroar todo esse esforço do elenco com as conquistas que tivemos foi muito gratificante. Agora será outra etapa, mas quero muito contribuir para o sucesso do projeto”, avaliou João Paulo, de 35 anos.

    O líbero Fábio Paes, de 33, foi contratado no meio da temporada passada. “Cheguei e o grupo estava formado, mas fui muito bem recebido. Já conhecia alguns e havia trabalhado com outros jogadores. Essa receptividade foi muito importante para mim, pois de imediato me senti parte do grupo e a força desse grupo foi fundamental para as vitórias do time. Quando recebi o convite para permanecer, me senti honrado. Aceitei porque acredito no projeto, gostei da cidade e é claro do carinho do nosso torcedor”, afirmou Paes.

    Nos próximos dias outros jogadores serão anunciados. O elenco se reapresenta no dia 18 de junho para os exames de rotina, testes físicos, clínicos, e início dos treinamentos. O Campeonato Paulista, próxima competição do Vôlei Ribeirão, inicia-se no dia 11 de agosto. 

  • Brasil vence segundo amistoso contra a China

    Créditos: Marcelo Zambrana/Inovafoto/CBV

    Redação

    Depois de vencer o primeiro amistoso por 3 sets a 1 na última terça-feira (15.05), o Brasil voltou a enfrentar a China e, na noite desta quinta-feira (17.05), a equipe dirigida pelo técnico Renan levou a melhor por 3 sets a 0, com parciais de 25/14, 25/14 e 25/15. Os dois desafios aconteceram no ginásio do Abaeté, em Taubaté, interior de São Paulo.

    O próximo compromisso do Brasil será no dia 25 deste mês, quando fará sua estreia na Liga das Nações, na Sérvia, contra os donos da casa. 

  • Liga das Nações feminina: Brasil vence a Sérvia de virada

    Créditos: Divulgação FIVB

    Redação

    No último jogo da etapa disputada no ginásio José Corrêa, em Barueri, na grande São Paulo, a seleção brasileira feminina de vôlei venceu a Sérvia por 3 sets a 1, nesta quinta-feira (17.05), com parciais de 23/25, 25/22, 25/14 e 25/21. O público lotou o ginásio e entusiasmou a equipe, que correspondeu com grande atuação.

     Na etapa paulista, o Brasil foi superado pela Alemanha na estreia, por 3 sets a 1, e assegurou duas vitórias – sobre Japão e Sérvia, ambos pelo mesmo placar. Já a seleção da Sérvia havia chegado para enfrentar a seleção brasileira com dois resultados positivos, sobre as alemãs e as japonesas.

    A central Bia foi a maior pontuadora da partida, com o total de 18 acertos. 

    Com a palavra: 

    José Roberto Guimarães, técnico do Brasil: “Podemos ver uma evolução como um todo no sistema defensivo e na relação entre o bloqueio e a defesa. Conseguimos ajustar as posições em quadra e o nosso bloqueio. Ainda podemos melhorar o nosso saque. Gostei de ver a atenção das jogadoras em quadra. O time mostrou que evoluiu e estou muito feliz com essa vitória. Sabíamos que seria um jogo difícil e foi legal ver a energia das meninas hoje”, afirmou o técnico.

    A seleção feminina viaja na madruga desta sexta-feira (18.05) para Ankara, na Turquia, onde disputará a segunda semana da competição contra as donas da casa, a Argentina e a República Dominicana. O primeiro jogo do time verde e amarelo será na terça-feira (22.05), às 11h (horário de Brasília) contra a Turquia.

    O JOGO

    O set começou equilibrado. A Sérvia foi para o primeiro tempo técnico com um de vantagem, 8/7. Quando as sérvias fizeram, 11/8, o treinador José Roberto Guimarães pediu tempo. Bem no bloqueio, o time verde e amarelo virou o marcador, 14/11. A Sérvia cresceu de produção e voltou a liderar o set, 16/15. Com um ataque da oposta Tandara, as brasileiras fizeram, 17/16. A oposta Boskovic fez um ponto de contra-ataque e as sérvias fecharam o primeiro set por 25/23.

    O Brasil começou melhor o segundo set e fez 3/1. O time verde e amarelo foi para o primeiro tempo técnico com dois de vantagem, 8/6. Com um ace da oposta Tandara, o time verde e amarelo abriu dois pontos, 11/9. As brasileiras mantiveram a vantagem no segundo tempo técnico, 16/14. As europeias cresceram de produção e empataram (18/18). Com Amanda bem nos contra-ataques, o Brasil abriu três pontos, 21/18. As brasileiras seguraram a vantagem até o final e venceram o segundo set por 25/22.

    O terceiro set iniciou equilibrado. Se aproveitando dos erros das sérvias, o Brasil fez 7/6. Bem no bloqueio, as brasileiras abriram dois pontos, 8/6 e o treinador da Sérvia pediu tempo. O Brasil seguiu ditando o ritmo da parcial e aumentou a vantagem no marcador para quatro pontos, 11/7. No segundo tempo técnico, as brasileiras venciam por 16/10. O Brasil dominou a parcial até o final e venceu o terceiro set por 25/14.

    O Brasil fez os dois primeiros pontos do quarto set. Numa largada da ponteira Drussyla, o time verde e amarelo fez 6/4. A equipe brasileira seguia melhor e fez, 11/7. A Sérvia cresceu de produção e encostou, 12/11. Com um ponto de saque da oposta Tandara, o Brasil voltou a abrir no marcador, 14/11. O Brasil tinha quatro de vantagem no segundo tempo técnico, 16/12. As donas da casa seguraram a vantagem até o final e venceram o quarto set por 25/21 e o jogo por 3 sets a 1.

    EQUIPES:

    Brasil: Roberta, Tandara, Gabi, Amanda, Adenízia e Bia. Líbero: Suelen 
    Entraram: Monique, Macris, Drussyla e Rosamaria – Técnico: José Roberto Guimarães

    Sérvia:  Antonijevic, Boskovic, Mihajlovic, Blogojevic, Stevanovic e Popovic. Líbero: Popovic 
    Entraram: Busa, Bjelica, Milenkovic e Mirkovic – Técnico: Branko Kovacevic