Campeonatos Regionais

Osasco bate o Pinheiros e segue líder do Paulista

por: Pedro - Redação

0

Redação

Camila Brait fez sua ‘estreia’ oficial pelo Osasco São Cristóvão Saúde na noite desta sexta-feira (10), no ginásio José Liberatti. Depois da medalha de prata na Olimpíada de Tóquio, ela até havia entrado no final do primeiro set da primeira rodada do Campeonato Paulista, para fazer fundo de quadra. Mas não estava com a camisa de líbero, então, para os fãs osasquenses, nem conta. Desta vez, devidamente uniformizada, permaneceu em quadra do início ao fim e mostrou a segurança de sempre na vitória sobre o Pinheiros por 3 sets a 1, parciais de (25-23, 24-26, 27-25 e 25-16), em 2h07min.

Com mais três pontos na conta, Osasco segue líder invicto do Estadual, com três vitórias em três partidas. Somou o segundo resultado positivo jogando em casa, desta vez com uma torcedora ilustre. Acompanhada pelo marido e pela filha, Tandara acompanhou a partida das arquibancadas do José Liberatti. O próximo compromisso das comandadas de Luizomar será na sexta-feira (17/09), contra Barueri, às 21h30, com transmissão do Sportv.

Outra novidade foi a entrada da levantadora Kenya desde o início da partida. Fabíola sentiu uma contratura muscular na panturrilha e foi poupada.

Com a palavra:

Camila Brait, líbero do Osasco São Cristóvão Saúde: “Osasco é minha casa e me sinto muito bem nesse ginásio. Só falta a torcida, mas tenho certeza que, em breve, ela estará de volta. Sabíamos que iríamos sofrer contra o Pinheiros, um time que saca e defende bem. Perdemos a paciência no segundo e terceiro sets, porque elas estavam defendendo as nossas bolas, e cometemos erros que não estamos acostumadas. Mas é início de temporada e estamos construindo o time, como diz o Luizomar. É melhorar a cada jogo”, disse a líbero.

Kenya, levantadora do Osasco São Cristóvão Saúde: “Foi um jogo bom, apesar dos altos e baixos. A Fabíola sentiu uma lesão, mas me deu força o tempo todo do bando de reservas. Com o apoio dela, do Luizomar e das meninas, fui me soltando. Afinal, a gente treinar para isso. Para estar pronta quando o time precisar”, disse a levantadora.

Foto: João Pires/Fotojump