Liga das Nações

Brasil vira e conquista a Liga das Nações pela primeira vez

por: Pedro - Redação

0

Redação

Em uma atuação quase perfeita, o Brasil conquistou a Liga das Nações pela primeira vez, ao vencer neste domingo (27), a Polônia por 3 sets a 1, parciais de (22-25, 25-23, 25-15, e 25-14), em Rimini, na Itália. Mais cedo, ao vencer a Eslovênia, a França conquistou o bronze.

Esse foi o primeiro título do Brasil na Liga das Nações, que há três anos substituiu a Liga Mundial. A Rússia conquistou as duas primeiras edições (2018 e 2019). Em 2020 o torneio não aconteceu por conta da pandemia.

O Brasil superou a Polônia tanto no bloqueio (9-7) quanto no saque (6-3), mas no final a eficiência no ataque fez a diferença: 52% (54/102) a 44% (44/101).

Os maiores pontuadores foram, o oposto Wallace do Brasil com 22 pontos (maior pontuador da partida) e na Polônia, o oposto Bartosz Kurek com 17 pontos.

Com a palavra:

Bartosz Kurek, oposto da Polônia: “Fiquei muito surpreso com o prêmio, mas acho que o MVP deveria ser apenas o jogador do time vencedor, então eu realmente não me considero assim. Parabéns ao Brasil e ao Wallace – jogador incrível, equipe incrível. Espero que nos encontremos na final desta temporada novamente em outra competição e, com sorte, seremos um oponente um pouco melhor e, com sorte, possamos conseguir uma vitória. Acho que eles estiveram muito bem nos passes, eles defenderam todos os nossos saques pesados, eles finalizaram todas as bolas depois. No terceiro e quarto set, nossa eficiência caiu e não conseguimos encontrar nosso jogo. É uma lição dolorosa, mas espero que possamos tirar algo de bom disso”, disse Kurek.

Bruninho, levantador do Brasil: “É incrível. Este mês foi tão difícil para nós, precisamos ficar focados e estarmos na bolha – foi algo novo para todos. Foi um torneio realmente de alto nível, mas nosso time mereceu. Temos 18 jogadores e uma equipe que todos os dias deu 100% de sua dedicação e isso é o principal desta equipe. Esperamos que as pessoas no Brasil se orgulhem de nós. Agora temos três dias de descanso e começamos a pensar em Tóquio”, disse Bruninho.

Wallace, oposto do Brasil: “Estou muito feliz em fazer parte desta equipe e estou muito feliz em contribuir para a equipe. É a primeira vez que vencemos a Liga das Nações, então isso me deixa ainda mais feliz. Sacamos muito bem e o nosso passe funcionou muito bem, mesmo que a Polônia tenha sacado bem – foi a chave do sucesso. Mas também, não cometemos muitos erros e isso foi muito importante”, disse o oposto.

MVP: Wallace (Brasil) e Kurek (Polônia)
Melhor Ponteiro: Leal (Brasil)
Melhor Ponteiro: Kubiak (Polônia)
Melhor Central: Maurício Souza (Brasil)
Melhor Central: Bieniek (Polônia)
Melhor Líbero: Thales (Brasil)
Melhor Levantador: Drzyzga (Polônia)
Melhores Opostos: Wallace (Brasil) e Kurek (Polônia)

Foto: Divulgação FIVB