Liga das Nações

Com uma recuperação épica, Brasil vence a Holanda

por: Pedro - Redação

0

Redação

A seleção brasileira masculina de vôlei começou a terceira semana da Liga das Nações com vitória em sets diretos. Nesta quarta-feira (09), o Brasil com uma recuperação épica no terceiro set, levou a melhor sobre a Holanda por 3 sets a 0, parciais de (25-19, 25-22 e 27-25), em Rimini, na Itália. Com o resultado, o time brasileiro alcançou a sexta vitória na competição.

O grande destaque da partida ficou com o ponteiro Leal. O cubano naturalizado brasileiro teve grande atuação, brilhando principalmente no final da terceira parcial. Ele finalizou o jogo como o maior pontuador ao lado do holandês Aziz Nimir, com 20 acertos cada um.

Resumo dos pontos: Em ataques, o Brasil marcou 44 pontos contra 41 da Holanda. Em bloqueios, foram 09 pontos do Brasil contra 07 da Holanda. Em saques, a Holanda marcou 04 pontos contra 03 do Brasil. Em erros, a Holanda cedeu 21 pontos contra 14 cedidos pelo Brasil.

Com a palavra:

Freek De Weijer, levantador da Holanda: “Em primeiro lugar, é um prazer jogar neste nível, mas nesse caso é muito estranho perder o terceiro set como este. Estavamos 23-19 à frente e perdemos 25 -27. Antes da partida sabíamos que seria muito difícil, porque conhecemos o nível do Brasil, sabemos que eles podem jogar muito bem. Mas o terceiro set foi o mais estranho. Acho que melhoramos nosso nível em relação aos jogos anteriores, porque olhando as primeiras partidas era difícil encontrar as sintonias e o ritmo e se você olhar agora o ritmo já está um pouco melhor. Temos que jogar mais na transição e na cobertura. Na minha opinião é bom ver que aumentamos nosso nível, mas não é o suficiente”, disse o levantador.

Mauricio Souza, central do Brasil: “Acho que jogamos bem, mas cometemos muitos erros. Vamos treinar muito para jogar melhor nos próximos jogos. Graças ao saque do Leal conseguimos fechar este jogo em três sets e é muito importante para nós, porque ganhamos três pontos. Falamos no vestiário que temos que jogar duro e juntos”, disse Mauricio Souza.

Foto: Divulgação FIVB