Feminino

Mesmo não jogando bem, Brasil vence a Polônia

por: Pedro - Redação

0

Redação

Errando mais do que o habitual, a seleção brasileira feminina voltou a vencer na Liga das Nações. Neste sábado (12), o Brasil levou a melhor sobre a Polônia por 3 sets a 0 (25-22, 25-20 e 25-23), em Rimini na Itália. Não foi uma partida brilhante. A seleção cometeu erros e teve problemas para virar algumas bolas no ataque. 

Resumo dos pontos: Em ataques, o Brasil marcou 37 pontos contra 33 da Polônia. Em bloqueios, foram 13 pontos do Brasil contra 07 da Polônia. Em saques, a Polônia marcou 04 pontos contra 01 do Brasil. Em erros, o Brasil cedeu 21 pontos contra 24 cedidos pela Polônia.

As maiores pontuadoras foram, a ponteira Gabi do Brasil, com 15 pontos e do lado polonês, a oposta Magdalena Stysiak, com 14 pontos.

Com a palavra:

Maria Stenzel, líbero da Polônia: “Em primeiro lugar, acho que foi um jogo muito bom para nós. Somos uma equipe jovem e este jogo foi mais uma experiência importante para nós. Foi fantástico jogar contra o Brasil e ganhar esta valiosa experiência. No primeiro set o bloqueio fez a maior diferença, faltou alguma precisão. O Brasil jogou muito bem no bloqueio”, disse a líbero.

Gabi, ponta do Brasil: “São três pontos muito importantes para nós, porque ainda estamos em busca da classificação para o Final Four. Sabemos que é uma competição muito difícil, então nossa vitória foi muito importante. Estou muito orgulhosa de como nossa equipe começou hoje, começamos muito agressiva, com bom saque e nosso bloqueio funcionou muito bem. Mesmo assim cometemos alguns erros, especialmente no primeiro set. Cometemos muitos erros de saques e sabemos que não podemos jogar assim. No terceiro set continuamos jogando 2-3 pontos atrás, mas continuamos brigando. Nosso treinador pediu que não cometêssemos tantos erros, dizendo como é importante sacar bem. Precisamos continuar sacando bem todas as vezes. Vencemos por 3 a 0, mas não foi fácil o jogo e também parabéns à Polônia, porque forçou muito no ataque e é difícil jogar contra elas”, disse Gabi.

Foto: Divulgação FIVB