Notícias

Supercopa feminina: Dentil/Praia Clube é campeão da edição 2018

por: Pedro - Redação

0
Créditos: Kléber A. Gonçalves/Inovafoto/CBV

Redação

Diante de quase 4.500 pessoas, Dentil/Praia Clube (MG) e Vôlei Osasco Audax (SP) fizeram um belo duelo e um grande espetáculo na noite deste sábado (10/11), no Centro de Formação Olímpica, em Fortaleza (CE). No final, vitória e título da Supercopa Feminina 2018 para o time de Uberlândia (MG), que venceu por 3 sets a 1 (27/29, 25/17, 25/21 e 25/23) e foi campeão deste campeonato pela primeira vez.

O confronto marcou o encontro do campeão da Superliga Cimed 17/18 com o vencedor da Copa Brasil. O time mineiro, dirigido pelo técnico Paulo Coco, acumula, agora, então, mais um título ao vencer a equipe paulista. 

Essa foi a quarta edição da Supercopa. Em 2015 o título ficou com o Rexona-AdeS, em 2016, com o nome de Rexona-Sesc, a equipe carioca foi bicampeã, e em 2017, já como Sesc RJ, o time dirigido pelo técnico Bernardinho conquistou o terceiro título.

Com a palavra:

Fabiana, central do Dentil/Praia Clube:   “Sabemos das nossas dificuldades, ainda estamos nos encaixando, então sair com essa vitória hoje foi muito importante. É um resultado que dá mais confiança e o time vai ganhando uma cara. Viemos de um Campeonato Mineiro, onde saímos com um resultado não desejado, então, sair com essa vitória hoje nos dá um parâmetro que ainda temos muito o que melhorar, mas, ao mesmo tempo, de que estamos no caminho certo”, disse Fabiana.

Mari Paraíba, ponta do Osasco-Audax:    “Já sabíamos da qualidade do Dentil/Praia Clube e, na minha opinião, é uma equipe ainda mais bem estruturada do que a do ano passado, tem mais peças de trocas, e sabíamos que seria um jogo duro. Estamos vindo em um ritmo maçante, mas a nossa equipe está crescendo a cada jogo. A Hooker está voltando e ela foi bem depois de só cinco dias de treinamento. Ainda oscilamos muito durante o jogo, mas não podemos desanimar”, disse Mari Paraíba.

O jogo – O primeiro set foi recheado de emoções. O Vôlei Osasco correu atrás do placar até Mari Paraíba empatar no 14/14. Angela Leyva, um dos maiores nomes da etapa inicial, atacou para fazer 17/14 e 23/19 a favor das osasquenses. Quando as comandadas de Luizomar chegaram ao set point no 24/22, Luizomar promoveu a estreia da oposta norte-americana Hooker. Porém, o Praia estava no jogo, encostou e empatou no 24/24. A partir daí o equilíbrio voltou, até Nati Martins, no bloqueio, dar números finais com 29/27 para Osasco.

O Praia Clube voltou forte para o segundo set e comandou o placar desde o início. Osasco se manteve na cola e segurou a diferença em um ponto, quando Mari Paraíba atacou no 10/9 a favor do adversário. Hooker voltou a quadra quando o Praia abriu cinco pontos (15/20), mas não conseguiu ajudar a recolocar o time de Osasco no ritmo para buscar a reação. Com isso, a equipe de Uberlândia fechou o set em 25/17.

O bloqueio duplo de Natasha e Hooker barrou o ataque do Praia e manteve Osasco vivo no terceiro set, baixando a vantagem das mineiras para um ponto (23/22). Essa foi a tônica da parcial, com as comandadas de Luizomar lutando pela vitória. Começaram atrás até Leyva, com um ace, empatar no 6/6. Na sequência, Lorenne colocou Osasco na frente pela primeira e única vez no set, no 7/6. Na sequência, o Dentil voltou a comandar o placar, mas sempre com as osasquenses na cola, já com Paula Pequeno em quadra. No final, mesmo com o bloqueio matador de Hooker e Natasha no 23/22, o Praia fechou por 25/22 e virou o jogo em Fortaleza.

O quarto set foi equilibrado e tenso. Precisando vencer para se manter vivo, Osasco partiu para cima. Mari mostrou oportunismo no 9/9 e Hooker colocou as osasquenses à frente no 10/9. Com Paula Pequeno comandando o time em quadra e fazendo até ponto direto de defesa, o time de Luizomar chegou a abrir quatro pontos (17/13). Mas o jogo era duro e o Praia empatou no 21/21 para assumir a ponta no placar. E mesmo com mais dois pontos de ataque de Paula, as mineiras venceram a parcial por 25/23 e a partida por 3 sets a 1.

Leave a comment