Notícias

Superliga Cimed 2018/2019: Vigésima quinta edição terá início no dia 24 de outubro

por: Pedro - Redação

0
Finais da Superliga Cimed 18/19 voltarão a ser disputadas em playoff
(Créditos: Wander Roberto/Inovafoto/CBV)

Redação

Conhecida por revelar e apresentar ao mundo atletas que vieram a se tornar grandes nomes do esporte, a competição organizada pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) terá novidades. A principal delas será o retorno da série de playoff nas grandes finais – melhor de três jogos no feminino e de cinco no masculino.

A Superliga Cimed 18/19 contará com 24 clubes participantes – sendo 12 em cada naipe – e a disputa já tem data para começar: dia 24 de outubro. Os times masculinos entram em quadra primeiro, e o confronto de abertura será entre Vôlei Renata, de Campinas, São Paulo e Sada Cruzeiro, de Contagem, Minas Gerais.

A competição masculina apresentará dois estreantes que subiram através da Superliga Série B: São Francisco Saúde/Vôlei Ribeirão (SP) e Vôlei UM Itapetininga (SP), que chegam para a disputa junto com Sada Cruzeiro (MG), Sesi-SP, Sesc RJ, EMS Taubaté Funvic (SP), Fiat/Minas (MG), Vôlei Renata (SP), Corinthians-Guarulhos (SP), Caramuru Vôlei (PR), Copel Telecom Maringá Vôlei (PR) e São Judas Voleibol (SP).

A Superliga Cimed feminina acompanha o calendário internacional e aguarda o fim do Campeonato Mundial, no dia 20 de outubro. Já com as estrelas da seleção brasileira de volta, os clubes terão partidas válidas pela competição nacional no dia 13 do mesmo mês.

O campeonato feminino também terá dois times estreantes:  Balneário Camboriú (SC) e Curitiba Vôlei (PR), que também classificaram através da Superliga B. As duas equipes estarão em ação ao lado de Dentil/Praia Clube (MG), Sesc RJ, Minas Tênis Clube (MG), Osasco/Audax (SP), Hinode Barueri (SP), E.C. Pinheiros (SP), Fluminense (RJ), Sesi Vôlei Bauru (SP), São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) e BRB/Brasília (DF).

Desafio

Acompanhando a modernização da modalidade, a Confederação Brasileira de Voleibol irá colocar à disposição o sistema de desafio em todos os jogos das semifinais e finais, auxiliando, assim, a arbitragem nas decisões mais difíceis.

Leave a comment