• Superliga Cimed 2018/2019 feminina: Sesc RJ vence o Osasco/Audax

    Créditos: Divulgação Sesc-RJ

    Fonte: Imprensa RJVC

    Após passar por momentos de instabilidade, o Sesc RJ voltou a mostrar sua força na Superliga Feminina 18/19. Diante do maior rival, o Osasco, no ginásio do Tijuca Tênis Clube, o time comandado por Bernardinho teve uma grande atuação e fez 3 sets a 0 (25/19, 25/23 e 25/12), sem dar a menor chance para as visitantes nesta sexta-feira (14/12).

    Aniversariante do dia, completando 25 anos, a líbero Gabi não escondia a felicidade e o alívio pelo resultado. Ela que defendeu Osasco durante muitos anos teve a primeira oportunidade de enfrentar seu ex-time. E saiu de quadra com um presentão: uma vitória e uma boa atuação da linha de passe do Sesc RJ, um dos setores mais criticados da equipe nas últimas rodadas.

    “Foi, sem dúvida, um grande resultado, um bom presente. Estava concentrada no jogo e não pensei no meu aniversário em nenhum momento do dia. Agora, posso pensar. Sobre a partida, acho que conseguimos fazer ficar fácil, com um bom saque, principalmente. Além disso, fica marcado o resgate de nossa confiança. Ninguém aqui desaprendeu a jogar vôlei, só tínhamos que ficar mais tranquilas, mais concentradas para fazer o nosso melhor em quadra. E hoje todo mundo jogou bem. Temos que seguir assim e para frente melhorar ainda mais”, disse a aniversariante do dia. 

    Capitã e responsável por ditar o ritmo do Sesc RJ em quadra, a levantadora Roberta foi outra a exaltar mais o espírito demonstrado pela equipe em quadra do que o resultado em si.

    “Mais do que bons saques e boas defesas, temos que reforçar nossa atitude, garra e luta. Estávamos, desde o início da temporada, sendo um time apático, que aceitava os erros passivamente. Nossa marca sempre foi de muita luta e alegria. E hoje retomamos isso. Entramos impondo nosso ritmo, sem sentir os erros quando aconteciam e crescendo, dando aquele gás, quando conseguíamos um ponto importante ou uma defesa difícil. Foi muito bom”, finalizou Roberta.

    O próximo compromisso do Sesc RJ será na próxima sexta-feira (21/12), diante do Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte. A equipe treinará no Rio de Janeiro durante toda a semana e embarcará para a capital mineira na quinta-feira.

  • Superliga Cimed 2018/2019 masculina: Vôlei Renata é superado jogando fora de casa

    Créditos: Divulgação Vôlei Renata

    Redação

    Fora de casa, o Vôlei Renata acabou superado na Superliga Masculina. Na tarde de sábado (15/12), o time campineiro tropeçou diante o Corinthians/Guarulhos, por 3 sets a 0 (25/14; 25/23 e 25/19), no Ginásio da Ponte Grande, em Guarulhos, em jogo válido pela décima rodada. 

    Ainda na zona de classificação, com 14 pontos, o Vôlei Renata volta às quadras contra Vôlei Um/Itapetininga, no próximo sábado (22/12), às 17 horas, no Ginásio do Taquaral, em Campinas. O duelo terá transmissão da TV Gazeta. 

  • Superliga Cimed 2018/2019 feminina: Fluminense perde para o Curitiba Vôlei por 3 sets a 0

    Créditos: James Helmfelt

    Redação

    O Curitiba Vôlei venceu o Fluminense em casa, durante um emocionante jogo na SuperligaCimed 2018/2019. Na noite de sexta-feira, dia 14/12, o time paranaense venceu por 3 sets a 0, em Curitiba, com as parciais de 25/21, 25/14 e 34/32. Um jogo em que o terceiro set foi o mais disputado da partida e que o Curitiba Vôlei conseguiu virar o placar mantendo a calma e maturidade no jogo.

    A líbero Aninha, do Curitiba Vôlei, foi novamente eleita a melhor jogadora na partida, mas deu o troféu por reconhecimento e parceria a jogadora Talia. 

    O Curitiba Vôlei volta à quadra na sexta-feira, dia 21 de dezembro, em Barueri, às 19h30, contra o Hinode Barueri no ginásio José Correa.

  • Superliga Cimed 2018/2019 feminina: Dentil/Praia Clube mantém liderança e invencibilidade

    Créditos: Divulgação/Praia Clube

    Redação

    Após a participação no Mundial de Clubes Feminino 2018, o Dentil/Praia Clube voltou a defender o bicampeonato da Superliga Cimed Feminina 2018/2019. Na noite desta sexta-feira, 14 de dezembro, as praianas conquistaram mais uma vitória na maior competição de voleibol do país. Dessa vez, o adversário foi o Hinode Barueri (SP), na Arena Praia, em Uberlândia (MG). Em 1h29 de partida, o grupo comandado pelo técnico Paulo Coco derrotou a agremiação da Grande São Paulo por 3 sets a 0, parciais de 25/22, 25/20 e 25/22.

    A líbero Suelen Santana foi eleita a melhor atleta do confronto e levou para casa o Troféu VivaVôlei. A oposta Nicole Fawcett, por sua vez, foi a maior pontuadora do time praiano, com 17 acertos. 

    O técnico Paulo Coco comentou sobre a ausência da capitã Fabiana Claudino na partida. “A Fabiana vem reclamando do joelho há algum tempo e foi feito um exame que diagnosticou um problema que ainda não sabemos ao certo. A prevenção do jogo foi pela preocupação. Ainda teremos uma reunião para discutir os procedimentos”, explicou.

    Com o resultado, o Dentil/Praia Clube mantém a liderança e a invencibilidade. São 17 pontos conquistados em seis embates realizados. Na próxima terça-feira, 18 de dezembro, às 20h, o oponente será o Fluminense F.C, no ginásio da Hebraica, no Rio de Janeiro (RJ), em confronto válido pela 7ª rodada do 1º turno. 

  • Superliga Cimed 2018/2019 masculina: Sada Cruzeiro bate Sesc-RJ por 3 a 1 em um grande jogo no Riachão

    Créditos: Agênciai7

    Redação

    O Sada Cruzeiro contou com a força de sua torcida e com um grande voleibol em quadra para bater o Sesc-RJ na noite deste sábado, 15/12, em Contagem. A equipe celeste fez 3 sets a 1, em uma virada com parciais de 23/25, 25/22, 25/17 e 26/24, no ginásio do Riacho, em partida da 10ª rodada da Superliga Cimed 2018/19. E com o placar conquistado em casa o time chegou à oitava vitória e aos 22 pontos, encostando de vez no líder carioca Sesc, que tem 25, com um jogo a mais.

    Este foi o último compromisso do elenco cruzeirense em casa neste ano. Na próxima quinta-feira, 20/12, às 19h, a equipe joga em São Bernardo, contra o São Judas Voleibol, em jogo adiado da sétima rodada, por causa do Mundial de Clubes. E o esquadrão azul fecha 2018 com um clássico nacional diante do terceiro colocado Sesi-SP, no dia 22, às 21h30, na capital paulista.

    A disputa começou equilibradíssima em Contagem e o primeiro set foi disputado ponto a ponto, com os cariocas abrindo o placar. Nas parciais seguintes o Sada Cruzeiro comandou as ações, foi muito agressivo no ataque e no sistema defensivo e conseguiu a virada.

    O ponteiro americano Sander foi eleito o destaque da partida e recebeu o troféu VivaVôlei. Ele também foi o maior pontuador do confronto, com 16 acertos.

  • Superliga Cimed 2018/2019 feminina: Minas vence mais uma e segue invicto

    Créditos: Orlando Bento / Minas Tênis Clube

    Redação

    O Minas segue com 100% de aproveitamento na Superliga Feminina Cimed 2018/19. Na noite desse sábado (15/12), a equipe comandada por Stefano Lavarini esteve no interior de Santa Catarina para mais um desafio válido pela competição nacional. Foi o primeiro jogo das minastenistas após o vice-campeonato no Mundial de Clubes, conquistado no último domingo (9/12), na China.

    O Minas teve como adversário a equipe do Vôlei Balneário Camboriú. As minastenistas fizeram grande jogo e venceram o confronto por 3 sets a 0 (25/11, 25/12 e 25/20). Com o resultado, o Minas tem cinco vitórias em cinco jogos disputados na temporada 2018/19 da Superliga.

    Os destaques ficaram por conta da oposta Bruna Honório, maior pontuadora do duelo (16 pontos) e Troféu Viva Vôlei, da ponteira Gabi e da central Carol Gattaz, com 12 e 11 pontos, respectivamente.

    O Minas volta a jogar pela Superliga Feminina Cimed 2018/19 já nesta terça-feira (18/12), às 19h30, novamente fora de casa, quando enfrenta o Osasco/Audax.

  • Superliga Cimed 2018/2019 masculina: Fiat/Minas vence o Copel Telecom Maringá Vôlei, fora de casa

    Créditos: Divulgação MTC

    Redação

    O Fiat/Minas conquistou mais uma vitória na Superliga Masculina Cimed 2018/19. Na noite deste sábado, (15/12), a equipe entrou em quadra para enfrentar o Copel Telecom Maringá Vôlei e conquistou a vitória por 3 sets a 2, com parciais de 25/14, 25/27, 25/14, 21/25 e 15/12. O ponteiro mineiro Honorato foi um destaques do time, com 15 pontos, e levou o Troféu VivaVôlei. Com o resultado, o Minas subiu uma posição na tabela de classificação e agora está em sétimo lugar, com 14 pontos ganhos. O jogo, realizado no ginásio Chico Neto, em Maringá, foi válido pela décima rodada do primeiro turno.

    Antes do jogo deste sábado, o time mineiro sofreu com atrasos no voo para a cidade paranaense. A equipe, que jogou na noite da última quinta-feira, embarcou na manhã de sexta-feira, mas só chegou em Maringá por volta de meia-noite. O técnico Nery Tambeiro enalteceu a superação da equipe dentro de quadra. “Foi um jogo muito difícil e nós não esperávamos outra coisa. A nossa equipe já vem de um 3 a 2, está cansada e não tivemos tempo para recuperação. Acordamos cedo para viajar, tivemos o voo cancelado e só chegamos quase meia-noite. Não tivemos tempo nem para treinar. O adversário tem todos os méritos, se não fizéssemos o nosso melhor, nós não ganharíamos. O problema do voo era nosso e nós superamos. Todo jogo é uma batalha”, afirmou.

    Eleito o melhor em quadra, o ponteiro Honorato também falou sobre a determinação e superação da equipe. “Era um confronto direto, passamos por uma sequência pesada e estamos vindo de mais jogos no tie-break. A palavra de hoje é superação. Chegamos em Maringá ontem muito tarde e conseguimos apresentar nosso melhor. O nosso grupo, apesar de novo, tem muita experiência. Esta Superliga está muito equilibrada, eu sou filho de treinador e acompanho há muito tempo, e, neste ano, vejo muito equilíbrio. Então, estou muito feliz com a vitória”.

    A equipe retorna para Belo Horizonte neste domingo, para encerrar o primeiro turno da Superliga, o time enfrenta o Caramuru Vôlei, no dia 22/12, às 17h, na Arena MTC.

  • Mundial de clubes feminino: Ting Zhu comanda o VakifBank Istambul no segundo título consecutivo

    Créditos: Divulgação FIVB

    Redação

    E não deu para o Minas Tênis Clube. Na manhã deste domingo (09/12), o time mineiro acabou sendo derrotado pelo poderoso VakifBank Istambul, da Turquia, por 3 sets a 0, parciais de 25/23, 25/21 e 25/19, em 1h29 de jogo e ficou com o vice do Campeonato Mundial feminino de Clubes de vôlei disputado em Shaoxing, na China.

    A chinesa Ting Zhu, campeã olímpica, mais uma vez desequilibrou para as turcas, terminando a partida como a maior pontuadora, com 21 pontos. A oposta Bruna Honório foi a maior pontuadora brasileira, com 13 pontos.

    Depois de uma ótima campanha e de uma grande vitória sobre o também turco Eczacibasi VitrA, por 3 a 2, na semifinal, o Minas não conseguiu repetir as atuações anteriores e acabou sendo dominado pelo atual campeão, que conta em seu elenco com algumas das principais jogadoras do voleibol mundial, como a chinesa Ting Zhu e a norte-americana Kelsey Robinson, ambas ponteiras, a oposta holandesa Lonneke Sloetjes e a central sérvia Milena Rasic.

    O JOGO

    Apenas no primeiro set, o Minas pareceu ter condições de encarar o time turco. A partida seguiu equilibrada, com trocas de liderança, até o marcador apontar 20/20. Porém, o VakifBank disparou e fez 24/20, viu as brasileiras encostarem em 24/23, mas acabou conseguindo definir a parcial e largar em vantagem.

    Na segunda e terceira parciais, o VakifBank mostrou toda sua força e sempre esteve à frente no placar. Em busca de uma virada, o técnico italiano Stefano Lavarini, do Minas, fez algumas mudanças em sua equipe, mas não obteve o resultado esperado. 

    Este foi o terceiro título mundial do VakifBank Istanbul, que já havia vencido as edições de 2013 e 2017. Para o Minas este foi o segundo vice, repetindo o feito de 1992, quando foi derrotado pelo italiano Il Messaggero de Ravenna.

    Na disputa do terceiro lugar, o Eczacibasi VitrA derrotou o Praia Clube, de Uberlândia, atual campeão da Superliga brasileira, por 3 a 0 (25/16, 25/18 e 25/19). 

  • Superliga Cimed 2018/2019 masculina: Sada Cruzeiro vence o clássico mineiro

    Créditos: Orlando Bento/MTC

    Redação

    A noite deste sábado, 08/12, em Belo Horizonte, contou com um disputado clássico regional pela Superliga Cimed 2018/19. E mesmo jogando na casa do adversário, o Sada Cruzeiro teve um grande apoio de sua torcida para bater o Fiat Minas por 3 sets a 2, na Arena Minas, e garantir a sua sexta vitória na competição nacional, com parciais de 25/22, 23/25, 25/18, 23/25 e 15/13.

    O jovem ponteiro Rodriguinho foi eleito o melhor em quadra e recebeu o troféu VivaVôlei. Ele marcou 19 vezes e ainda teve um bom aproveitamento no ataque, com 65% de eficiência. O atacante ainda foi o maior pontuador do confronto, com 18 acertos (16 de ataque e dois de saque). O oposto Evandro e o ponteiro Sander, com 14 pontos cada, também se destacaram no duelo.

    O time celeste está em quatro lugar na classificação geral, com 16 pontos (seis vitórias e uma derrota). Já a equipe de Belo Horizonte (MG) aparece na oitava posição, com 10 pontos (três resultados positivos e cinco negativos). O Sesc RJ lidera, com 22 pontos.

    As duas equipes voltarão à quadra na próxima semana. O Sada Cruzeiro duelará com o EMS Taubaté Funvic (SP) na quarta-feira (12/12), às 20h, no Abaeté, em Taubaté (SP). Já o Minas Tênis Clube terá pela frente o São Francisco Saúde/ Vôlei Ribeirão (SP), Arena Minas, em Belo Horizonte (MG).

  • Superliga Cimed 2018/2019 feminina: Sesc-RJ perde a invencibilidade

    Créditos: Divulgação/Sesc RJ

    Fonte: Imprensa RJVC

    O Sesc RJ conheceu sua primeira derrota na Superliga feminina de vôlei 18/19 nesta sexta-feira (07.12). Diante do Fluminense, o time comandado pelo técnico Bernardinho errou muito, principalmente no primeiro e quarto sets e não conseguiu superar o Fluminense que fez 3 sets a 1 (25/15, 26/24, 15//25 e 25/12) com uma atuação segura.

    E após o primeiro resultado adverso, as jogadoras do Sesc RJ não esconderam a frustração, mais pela atuação repleta de oscilações do que pela derrota em si. No entanto, sabem que precisam olhar com carinho para a derrota para aprenderem com os erros.

    “É muito difícil perder um jogo em casa. É claro que sentimos, mas temos que tirar coisas boas de tudo. Ainda estamos numa busca incessante por um padrão de jogo, uma regularidade. E o nível que atingimos hoje não foi suficiente para vencer o Fluminense. Temos que olhar para dentro de cada uma de nós e vermos o que podemos fazer melhor individualmente para contribuir para o grupo, para o time. E continuaremos trabalhando duro. Perdemos, mas quando ainda é possível perder”, analisou a central Juciely.

    O próximo compromisso do Sesc RJ será diante do Barueri, em Barueri, na próxima terça-feira (11.12), às 19h30.

    O jogo

    O primeiro set começou bem para o Sesc RJ, com um ace da levantadora Roberta. Mas quem ditaria o ritmo do jogo com um bom serviço e uma grande eficiência nos bloqueios era o Fluminense. Já no início da parcial, o Tricolor assumiu a ponta do placar, após um erro de rotação do time de Bernardinho e de uma largadinha da ponteira Pri Daroit: 6-4. E a diferença no marcador só fez aumentar. Em 16-8, Bernardinho pediu seu segundo tempo, tentando evitar o inevitável: 25-15 para o Fluminense, em um ace da meio de rede Lara.

    O Fluminense continuou sobrando na segunda parcial. Após um ataque da ponteira Peña na antena (5-2), Bernardinho precisou parar o jogo para tentar corrigir os erros do seu time. Em um ace da central Leticia Hage, o Tricolor fez 8-3, mas ainda tinha jogo. Ponto a ponto, o Sesc RJ foi tirando a diferença, que caiu para um ponto num bloqueio de Juciely em Thaisinha: 10-9. O técnico do Flu pediu tempo, mas numa jogada praticamente igual, Juciely bloqueou novamente a atacante adversária e empatou: 10-10.

    Após ataque de Lara e um erro do Sesc RJ, o Flu voltou a abrir dois pontos. Mas teve ao longo de todo o set o time de Bernardinho na sua cola. Em um bloqueio de Mayhara, o Sesc RJ empatou 21-21. Com um ponto de Joycinha e um erro de Kosheleva, o Flu abriu 23-21, mas cedeu novo empate após dois erros de sua oposta: 23-23. Só que quando Kasiely errou um saque e o Tricolor teve a chance de fechar, fechou: 26-24 em um ataque de Ariane na saída de rede.

    O equilíbrio do set anterior se manteve no terceiro. O Sesc RJ acordou para o jogo de vez e não deixou a empolgação do adversário tomar conta da partida. Em um ace de Juciely, o time de Bernardinho fez 4-3. O Fluminense chegou a virar, mas não conseguiu deslanchar e tomou a virada. Em um bloqueio da levantadora Roberta, o Sesc RJ fez 9-7 e o Tricolor pediu tempo. Mas de nada adiantou. A diferença no placar aumentou e chegou a 13-7 em novo bloqueio de Roberta. 

    Sem conseguir reagir, o Fluminense tentou mexer algumas peças, entrando com a ponteira Carla e a levantadora Ju Carrijo. Mas não tinha o que fazer. Roberta, Juciely e Mayhara anotaram mais um ponto de bloqueio cada uma, Peña garantia a virada das bolas no ataque e ainda contavam com os erros do Tricolor, que arriscava mais para tentar encostar no placar: 25/15, exatamente num erro de ataque do Fluminense.

    Avassalador, o Fluminense pareceu não sentir a derrota na parcial anterior. Voltou para o quarto set e abriu nove pontos rapidamente (12-3), obrigando Bernardinho a gastar seus dois pedidos de tempo. Com tamanha vantagem, o Tricolor só precisou manter a tranquilidade para fechar e vencer o jogo. E foi exatamente isso que aconteceu: 25-12 em um ace de Pri Daroit.