Superliga

Cirúrgico, Osasco aproveita dos erros do Sesi e vence em casa

por: Pedro - Redação

0
A aniversariante Mayany, levou o Troféu VivaVôlei.
Créditos: João Pires/Fotojump

Redação

A equipe do Osasco São Cristóvão Saúde venceu o Sesi Vôlei Bauru nesta terça (24) por 3 sets a 1 com parciais de (25/20, 25/18, 23/25 e 25/11), no ginásio José Liberatti, em Osasco (SP). Aproveitando a grande quantidade de erros da equipe de Bauru, o time de Osasco foi cirúrgico e minou as possíveis reações da equipe adversária, exceto no terceiro set, onde as bauruenses conseguiram uma pequena reação na partida.

Com o resultado, a equipe comandada pelo técnico Luizomar soma o quinto triunfo consecutivo em cinco rodadas e segue invicto na Superliga Banco do Brasil 2020/21.

A aniversariante Mayany, do Osasco São Cristóvão Saúde, levou o Troféu VivaVôlei como a melhor jogadora da partida. As maiores pontuadoras com 18 pontos foram, a ponteira Gabi Cândido do Osasco São Cristóvão Saúde, sendo (01 de saque e 17 em ataques) e a oposta Polina Rahimova do Sesi Vôlei Bauru, sendo (02 de saques e 16 em ataques).

Com a palavra:

Luizomar de Moura, técnico do Osasco São Cristóvão Saúde: “Apesar do pouco tempo entre os jogos e as viagens, estudamos muito a equipe do Sesi. Começamos esse trabalho ainda em Curitiba, depois do jogo contra São José dos Pinhais, na sexta-feira passada. No domingo, já tínhamos os dados do jogo deles contra Barueri, que juntamos aos dados coletados e analisados dos nossos outros confrontos. Tudo isso nos permitiu traçar um plano de jogo, que foi seguido à risca pelas meninas, que estão de parabéns pela disciplina tática. Conseguimos uma vitória importante, especialmente da forma como foi construída, com o time jogando bem taticamente”, avaliou o treinador.

Rubinho, técnico do Sesi Vôlei Bauru: “Perdemos para um forte adversário, que jogou muito bem, especialmente no ataque com atuação bastante consistente e consciente fugindo de nossas principais bloqueadoras. Também não passamos bem e, por isso, nossa rotação não foi tão alta. Não adianta desesperar por causa de um resultado que não foi bom diante de uma equipe de alto nível que fez uma excelente partida. Temos de avaliar e treinarmos em função disso. O campeonato é duro, difícil, extenso e com muitas equipes fortes e temos de analisar muito bem para focarmos nos treinamentos para corrigirmos as falhas e seguirmos em frente.”

Fotos: João Pires/Fotojump